Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
#VirouViral Por Duda Monteiro de Barros Como surgem e se espalham os assuntos mais comentados da internet

Por que vídeo de Renato Aragão irritou Duvivier e virou assunto nas redes

Usuários também lembraram de ocasiões em que Didi brinca com catolicismo e religiões de matriz africana

Por Luísa Costa 17 dez 2019, 17h46

Após revoltar grupos religiosos, principalmente evangélicos, o especial de natal do Porta dos Fundos ainda está dando o que falar. Os alvos da vez, tanto de grupos conservadores quanto progressistas, são Gregório Duvivier e Renato Aragão. Duvivier, que interpreta Jesus Cristo na passagem bíblica revisitada, começou a ser criticado por parte de usuários do Twitter que relembraram uma conversa que ele teve com Renato Aragão, que condena piadas com religião. Duvivier, em contrapartida, sugeriu que o ‘trapalhão’ não tem o mesmo cuidado com negros e homossexuais.

O trecho do vídeo é parte do programa Na Moral, com Pedro Bial, e foi veiculado pela Globo no dia 13 de setembro de 2013. Nele, Renato Aragão diz: “Eu nunca passei por esse temor de fazer piada sobre religião. Não precisa usar a religião para fazer humor. Eu acho que até agride. Coisa que agride é você criticar uma religião, muçulmana, católica, evangélica, tudo”. Gregório discorda do comediante e é interpelado: “Você tem religião?”. Ao que ele responde: “Não”, visivelmente sem graça. A cena foi reeditada de modo a focar na expressão constrangida de Duvivier repetidas vezes, e usada para fazer troça com o humorista da Porta dos Fundos:

Em resposta, o humorista da Porta dos Fundos tuitou: “não pode rir de religião, só de preto, viado e pobre”. A fala foi retuitada 15.600 vezes.

Tuiteiros logo começaram a tomar um lado, levando a querela aos assuntos mais comentados da redes social desta terça-feira, 17. “O verdadeiro humorista consegue fazer piada com tudo sem ferir ninguém. É ocaso do Renato Aragão. Já o militante sem graça, faz claramente uma chacota e ataque a fé dos outros. Há uma gigante diferença na linha tênue do humor e da ofensa, a diferença entre o engraçado e o babaca!”, disse uma usuária.

Outro usuário relembrou momentos polêmicos de Didi no programa Os Trapalhões: “Engraçado o Renato Aragão falar que o humor não precisa de piadas com religião, enquanto sua carreira se sustentou por anos em piadas com gays e negros, e quando chega o policiamento correto na televisão ele perde espaço e a graça…”

Continua após a publicidade

Mais além, esquetes de Os Trapalhões zombando de religiões de matriz africana – e até da católica – foram usadas para acusar Aragão de hipocrisia. Em um dos vídeos, ele interpreta um padre que recebe para citar políticos em sua paróquia, em uma espécie de “merchan” na missa.

 

Em suma: na tentativa de traçar os limites do humor, muitos humoristas de sucesso têm teto de vidro. No campo minado da internet, as pedras podem vir de todos os lados.

O especial da discórdia

Com nome A Primeira Tentação de Cristo, o vídeo da Porta dos Fundos tem 46 minutos e estreou na Netflix na terça-feira, 3. O enredo se passa no aniversário de 30 anos de Jesus e satiriza seu retorno após 40 dias de jejum no deserto.

No vídeo, Jesus, interpretado por Gregório Duvivier, leva para casa um amigo diferente, interpretado por Fábio Porchat, com quem vive um romance gay espantando José, Maria, os reis magos e até de Deus. A sátira já traz na sinopse que é “um especial de Natal tão errado que só podia ser do Porta dos Fundos”.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês