Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
VEJA Comprova Por Tulio Kruse Jornalismo contra a desinformação

Post troca local de ato contra Lula para desacreditar pesquisas

Vídeo engana ao mostrar protesto contra o ex-presidente, afirmando que moradores de condomínio estão querendo expulsá-lo; manifestação ocorreu em Campinas

Por Da Redação Atualizado em 21 jun 2022, 20h40 - Publicado em 21 jun 2022, 18h38

Vídeo engana ao mostrar protesto contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmando que moradores de condomínio de luxo onde ele foi morar estão querendo expulsá-lo. De fato, o protesto ocorreu, mas não na casa de Lula, e sim em frente ao condomínio em que mora o cientista brasileiro Rogério Cerqueira Leite, onde o ex-presidente esteve no dia 5 de maio, pouco antes de um evento na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Conteúdo investigado: Vídeo publicado no Kwai e compartilhado em outras redes sociais mostra um grupo de manifestantes contrários a Lula cercando um carro preto, onde estaria o ex-presidente. As publicações indicam que o local do protesto seria a nova residência do político, na cidade de São Paulo. A postagem aqui verificada utiliza as imagens para questionar a credibilidade das pesquisas eleitorais, que apontam Lula em primeiro lugar nas intenções de voto para as eleições presidenciais de outubro.

Onde foi publicado: Twitter, Facebook e Kwai.

Conclusão do Comprova: É enganoso o vídeo que mostra um protesto contra Lula com a legenda “olha o Lula saindo de casa” no alto da gravação. O conteúdo de desinformação foi compartilhado com legenda afirmando que “moradores de condomínio de luxo aonde Lula foi morar estão querendo expulsá-lo de lá”. Mas as imagens são de um protesto contra o petista ocorrido na cidade paulista de Campinas, durante visita à casa do cientista brasileiro Rogério Cerqueira Leite.

Lula, como informou VEJA, se mudou de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, para o bairro Alto de Pinheiros, na capital paulista, em dezembro do ano passado.

O post também questiona a credibilidade das pesquisas de intenção de voto ao afirmar “Esse é o líder das pesquisas”, insinuando que Lula tem baixa popularidade, o que não procede. O petista aparece em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto para presidente, que utilizam métodos científicos para apurar o quadro do momento.

Enganoso, para o Comprova, é o conteúdo retirado do contexto original e usado em outro de modo que seu significado sofra alterações; que usa dados imprecisos ou que induz a uma interpretação diferente da intenção de seu autor; conteúdo que confunde, com ou sem a intenção deliberada de causar dano.

Alcance da publicação: Até o dia 21 de junho, o vídeo original, compartilhado no Kwai, alcançou 6.752 curtidas, 2.561 comentários e 1.598 compartilhamentos. Já a postagem no Twitter teve 1.473 retweets, 5.180 curtidas e 126 interações.

O que diz o autor da publicação: Por meio das redes sociais, o Comprova procurou o autor do post original do Kwai para esclarecer questões referentes ao vídeo enganoso, mas ele não respondeu até a publicação desta verificação.

O lutador de jiu-jítsu Renzo Gracie, que compartilhou as imagens em seu Twitter, também foi consultado, mas não houve resposta. Ele é apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL). Em 2019, foi nomeado embaixador do turismo brasileiro pela Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur). Gracie costuma compartilhar informações duvidosas em suas redes sociais e já teve postagens classificadas como falsas por agências de checagem.

Como verificamos: O Comprova analisou comentários de internautas e fez buscas na internet, que levaram a reportagens de veículos de imprensa e publicações nas redes sociais sobre o episódio. Também foi utilizado o Google Street View para esclarecimento do local em que o vídeo foi gravado e feito contato com os autores dos posts.

O local da manifestação

Em certo momento do vídeo, as imagens mostram uma placa com os dizeres “Sociedade Alto das Palmeiras, 616”. Trata-se de um condomínio residencial localizado no bairro das Palmeiras, na cidade de Campinas, em São Paulo. Outros elementos presentes na publicação são os mesmos do condomínio.

Captura de imaem do vídeo no Kwai
Captura de imagem do vídeo no Kwai // Comprova/Reprodução

 

Captura de imagem no Google Street View
Captura de imagem no Google Street View // Comprova/Reprodução
Continua após a publicidade

Comentários na publicação do Twitter apontam para o fato de que as imagens aconteceram em Campinas, e não na residência de Lula. Diante da informação, uma busca com as palavras-chaves “Lula”, “Manifestação” e “Campinas” levou a notícias (O Globo, Folha de S.Paulo, Band e Hora Campinas) que repercutem o protesto e exibem o mesmo vídeo compartilhado nas postagens enganosas. As reportagens afirmam que o episódio ocorreu no dia 5 de maio.

As notícias informam que, na ocasião do protesto, Lula deixava a casa do cientista brasileiro Rogério Cézar de Cerqueira Leite, onde esteve antes de seguir para um evento de sua agenda oficial na Unicamp.

Casa de Lula

O conteúdo investigado aqui traz a seguinte legenda: “Moradores do condomínio de luxo aonde Lula foi morar estão querendo expulsá-lo de lá!”. Como mostrado anteriormente, o político não mora no local exibido no vídeo. Ele se mudou para uma casa no bairro de Alto de Pinheiros, na Zona Oeste da capital paulista.

O imóvel, de cerca de 700 metros quadrados, tem quatro suítes, oito banheiros, piscina e sala de ginástica, como mostrou VEJA. “No ano passado, uma imobiliária oferecia a casa por exatos R$ 20,5 mil de aluguel por mês” e, “caso o interessado quisesse comprar o imóvel, o valor de venda era de R$ 5 milhões”, aponta a reportagem.

Outra reportagem de VEJA mostra que até 30 de maio, quando foi publicada, não havia ocorrido nenhum protesto no novo endereço do pré-candidato. A discussão causada por sua chegada foi em relação a um “projeto que atende a uma demanda antiga dos residentes e que visa restringir o acesso de carros às ruas da região, com a instalação de cancelas e portarias”. Outras reportagens também afirmam ser na Zona Oeste da capital paulista a nova casa de Lula (Metrópoles, UOL, Terra).

Pesquisas de intenção de voto

O tuíte aqui investigado, ao escrever “Esse é o líder das pesquisas!!”, questiona a credibilidade das pesquisas de intenção de voto. Diversos seguidores fazem comentários desqualificando o trabalho de institutos como Datafolha, que mostram o petista em primeiro lugar na disputa presidencial, com Jair Bolsonaro em segundo.

“Vê-se a tranquilidade do líder das pesquisas! Não acredito em nenhuma”, escreve uma seguidora. “Grande líder de pesquisa em Datafolha”, digita outro.

O episódio, no entanto, não é suficiente para configurar uma amostra de baixa popularidade de Lula na sociedade brasileira. Como o Comprova mostrou recentemente, as pesquisas eleitorais utilizam métodos científicos para apurar a realidade do momento junto a segmentos que possam ser representativos do eleitorado brasileiro de uma forma geral.

Além disso, se Lula foi atacado por manifestantes na saída do condomínio Alto das Palmeiras, em Campinas, em 5 de maio, no fim daquele mesmo dia ele “foi recebido por uma grande quantidade de pessoas” na Unicamp, como afirma reportagem de O Globo:

“Parte dos estudantes não conseguiu entrar no anfiteatro, onde o petista discursou, e precisou acompanhar a fala do ex-presidente por telões do lado de fora”.

No último levantamento realizado pelo instituto do Grupo Folha, publicado em 26 de maio, Lula aparece 21 pontos à frente do atual presidente no primeiro turno. No segundo turno, o petista aparece com 58% das intenções de voto e, Bolsonaro, com 33%.

As críticas aos institutos de pesquisas seguem a linha de Bolsonaro, que já chamou de “canalhice” dados do Datafolha sobre a intenção de votos dos eleitores evangélicos.

Por que investigamos: O Comprova verifica conteúdos suspeitos sobre pandemia, políticas públicas e eleições que viralizaram. Informações enganosas acerca de Lula, pré-candidato à Presidência da República, prejudicam a decisão de eleitores durante as votações, atrapalhando o processo democrático. Além disso, pesquisas eleitorais são ferramentas essenciais para a análise do contexto político do país. A tentativa de descredibilizá-las diminui a confiança das pessoas sobre os institutos de pesquisa, atrapalha a percepção da realidade e influencia o voto de forma equivocada.

Outras checagens sobre o tema: O AFP Checamos também verificou a postagem e a definiu como falsa.

Recentemente, o Comprova mostrou que post engana ao omitir que protesto contra Lula em Bagé (RS) é de 2018; que vídeo antigo engana ao afirmar que Lula e Alckmin foram hostilizados em Porto Alegre e que publicação mostra imagens de imóvel de luxo no Ceará como sendo residência alugada por Lula em São Paulo.

A investigação deste conteúdo foi feita pelo portal Metrópoles e pelos jornais O Dia e Folha de S.Paulo, e a verificação por SBT, A Gazeta, Metrópoles, CBN Cuiabá, Nexo, Plural Curitiba e O Estado de S. Paulo.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)