Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
. Thomas Traumann Jornalista e consultor de comunicação, é autor de "O Pior Emprego do Mundo", sobre o trabalho dos ministros da Fazenda. Escreve sobre política e economia

Biden deve indicar embaixador pessoal para o Brasil

Depois de 11 anos com diplomatas, embaixada dos EUA em Brasília deve ser ocupada por doador democrata

Por Thomas Traumann 13 ago 2021, 17h35

De Washington

O presidente americano Joe Biden tende a escolher um doador de campanha e não um diplomata de carreira como novo embaixador em Brasília. O cargo está vago desde julho, quando o diplomata Todd Chapman foi convencido de que seus serviços não eram mais necessários por sua excessiva proximidade com a família Bolsonaro. A escolha do novo nome está em fase inicial e deve demorar semanas ou meses.

É uma tradição política americana que os presidentes premiem apoiadores ou políticos com o cargo de embaixador, uma honra que eventualmente pode abrir novos mercados de atuação quando o mandato se encerrar. De acordo com a Associação de Diplomatas Americanos, 44% dos embaixadores no governo Trump eram indicações políticas, 31% sob Barack Obama e 31% com George W. Bush. Além do Brasil, outras 80 embaixadas dos EUA estão vagas ou no prazo de troca de chefia. Na semana passada, Biden indicou um doador e militante da causa LGBTQ para comandar a diplomacia na Suíça e um político texano com forte influência na comunidade judaica como o seu representante na Argentina. Em maio, a Casa Branca informou que um dos critérios de Biden no preenchimento das vagas seria a diversidade étnica e de gênero.

O último embaixador não-diplomata no Brasil foi o executivo de banco de investimentos Clifford Sobel, indicado por Bush e que permaneceu entre 2006 e 09. Depois dele, todos os demais eram diplomatas: Thomas Shannon, Liliana Ayalde, Michael McKinley e Todd Chapman eram de carreira.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)