Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Tela Plana Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Kelly Miyashiro
Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming
Continua após publicidade

Rodrigo Santoro fala de ‘Bom Dia, Verônica’: ‘É baseado na vida real’

Novidade na terceira temporada da série, o artista detalha o desafio de atuar em uma trama sobre abuso sexual e de dar um ruidoso beijo gay

Por Kelly Miyashiro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
10 fev 2024, 08h00

A série Bom Dia, Verônica — que trata de violência contra a mulher e abuso sexual — conta agora com seu personagem, Jerônimo, um criador de cavalos misterioso e sedutor. Como foi construí-lo? Fui trabalhando pouco a pouco, desconstruindo umas coisas e tentando encontrar uma verdade para o personagem dentro desse universo que é (sem querer dar spoiler)eugenista. Ele acredita que precisa ser puro, que precisa ter uma linhagem pura, e eu tentei imaginar como seria estar na pele de alguém assim.

Quais são as intenções de Jerônimo? Ele expressa uma série de elementos absurdos que estão presentes no mundo em que vivemos — e é baseado em casos de pessoas sobre as quais eu encontrei referências na internet. Infelizmente, existem bases reais nessa história. Deparei no Instagram com indivíduos horríveis como ele.

As conexões incômodas com abusadores reais tornaram mais difícil interpretá-lo? Foi duro, como sempre é num momento em que você investiga a escuridão, em que precisa entrar em um lugar com essa complexidade. O trabalho do ator é mergulhar e se despir um pouco das coisas. Só que nunca é fácil: é desafiador, dolorido, mas também ensina muito. Essa é uma série com personagens que fazem coisas terríveis e levantam questões a serem debatidas no mundo de hoje, como a vaidade que nos exige nada menos do que a imagem da perfeição. Os personagens trazem uma série de provocações para serem discutidas nas nossas vidas.

Foi proposital conferir um corpo malhado a um tipo tão perverso? Sim, eu tive uma preparação física que decidi fazer porque achei que precisava para o personagem. Vi que ele requisitava esse tipo físico musculoso.

Continua após a publicidade

Na nova temporada você protagoniza um beijo gay com outro ator conhecido (cujo nome é aqui omitido para não estragar a surpresa). Como espera que o público reaja à cena? De fato, é uma cena forte e chocante, mas que está completamente dentro da história. Não tem nada de gratuito nesse beijo — eu até entendo que possa ser visto como tal, mas o fato é que eu tive um grande companheiro de cena, que eu já conhecia, mas com quem ainda não tinha contracenado.

E foi difícil? Não. Nós trabalhamos muito esse momento, ensaiamos, conversamos com o autor, Raphael Montes, e o diretor, José Henrique Fonseca, porque é uma cena que envolve bastante técnica. E precisava causar impacto: o resultado surpreende, e acho que vai ser impactante para o espectador.

Publicado em VEJA de 9 de fevereiro de 2024, edição nº 2879

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.