Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Rio Grande do Sul Por Veja correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens gaúchos. Por Paula Sperb, de Porto Alegre

Médico de Porto Alegre que ofendeu Manuela D’Ávila é afastado

"Somos um hospital humanitário, e o respeito ao próximo é um dos nossos principais valores", afirmou o hospital

Por Paula Sperb Atualizado em 6 abr 2018, 21h02 - Publicado em 6 abr 2018, 19h25

Um médico que chamou a deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) de “vaca” foi afastado temporariamente do trabalho pelo Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre. Manuela é pré-candidata à Presidência nas eleições de outubro. O afastamento é temporário “até serem adotadas medidas mais definitivas”, disse o hospital a VEJA, por meio de sua assessoria.

“O Hospital Mãe de Deus não concorda e não corrobora com opiniões políticas que ofendam a dignidade humana. Somos um hospital humanitário, e o respeito ao próximo é um dos nossos principais valores. Investigaremos a situação e tomaremos as providências cabíveis”, afirmou o hospital aos seguidores do perfil institucional do Twitter (leia nota completa abaixo).

Foi na mesma rede social que, um dia antes, o médico Marcelo Folgierini ofendeu a parlamentar por meio de seu perfil. Manuela escreveu na quinta-feira, dia 5, pedindo justiça pela vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes, executados no Rio de Janeiro. O médico, então, respondeu: “Em primeira ou segunda instância, sua vaca?”. Depois, Manuela escreveu que estava viajando para São Bernardo para acompanhar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que precisa se entregar à PF para cumprir pena de prisão. Folgierini respondeu à postagem dizendo “vai a merda” [sic].

A reportagem tentou contato com Folgierini, mas não obteve retorno. Procurada por VEJA, a assessoria da deputada informou que o assunto está sendo tratado por advogados.

No Facebook, o hospital publicou o seguinte comunicado: “Somos mais de 2500 pessoas que não se sentem representadas por atitudes que agridem o próximo. O Hospital Mãe de Deus repudia e não aceita comportamentos que desrespeitam a diversidade de opiniões. O funcionário envolvido nas ofensas propagadas pelas redes sociais foi afastado hoje, 06/04/2018″.

NOTA DE POSICIONAMENTO

O Hospital Mãe de Deus não concorda e não corrobora com opiniões, políticas ou não, que ofendam a dignidade humana. Somos um hospital humanitário, e o respeito ao próximo e à diversidade é um dos nossos principais valores. Partindo destas premissas, a Instituição repudia veementemente a manifestação do referido médico, o qual foi afastado. Tal comportamento não representa nossos mais de 2.500 profissionais e, também por isso, o Hospital Mãe de Deus soma-se às mensagens de indignação daqueles que, de alguma forma, se sentiram ofendidos com o fato.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)