Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Por que Gilson Machado só vai para o PL se Bolsonaro mandar

O ministro do Turismo está filiado ao PSC desde 2020 e quer disputar o Senado por Pernambuco nesse ano

Por Gustavo Maia Atualizado em 6 jan 2022, 16h07 - Publicado em 7 jan 2022, 13h30

Filiado ao PSC desde 2020, quando percebeu-se que o malfadado Aliança pelo Brasil não vingaria, o ministro do Turismo, Gilson Machado, só vai migrar para o PL de Valdemar Costa Neto se o chefe, Jair Bolsonaro, assim determinar. Por ele, a mudança não seria necessária.

Como o próprio presidente já revelou no ano passado, Machado quer se candidatar ao Senado por Pernambuco nas eleições desse ano.

Ocorre que o diretório do PL no Estado é comandado pelo prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, que ganhou um aceno de Valdemar durante o imbróglio da filiação de Bolsonaro, em outubro. Ele é pré-candidato ao governo do Estado.

O ministro-sanfoneiro tem dito que até preferiria permanecer no ministério, mas a prioridade é dar palanque a Bolsonaro em Pernambuco — onde ele teve 33,5% dos votos válidos no 2º turno contra Fernando Haddad, do PT, em 2018.

Gilson, aliás, deve encomendar uma pesquisa para medir a temperatura eleitoral no Estado até março desse ano. Os ministros do governo que quiserem tentar a sorte nas urnas terão que deixar os cargos até abril.

Continua após a publicidade

Publicidade