Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Modo Avião Por Tatiana Cunha As dicas certeiras de turismo e os lugares incríveis do planeta para você planejar sua próxima viagem

10 coisas para NÃO fazer em NY

Numa megalópole com opções para todos os gostos e bolsos, escape das armadilhas para turistas, dos lugares supervalorizados e seja um local

Por Tatiana Cunha Atualizado em 30 jul 2020, 21h06 - Publicado em 14 dez 2016, 16h28

Nova York

É impossível comparar qualquer outra cidade do mundo a Nova York. E não é exagero dizer que é a capital do mundo.

Nova York é daquele tipo de lugar que você pode visitar uma centena de vezes na sua vida e continuar descobrindo coisas novas e se surpreendendo todas as vezes. E nunca uma visita será como a outra.

Sempre costumo dizer que Paris não entra na minha lista de cidades favoritas do mundo porque é um caso à parte. Mas NYC também se encaixa nesta categoria. Amo mais que chocolate.

Nova York é daqueles lugares que mesmo você conhecendo super bem, sabendo se localizar e estando antenado para saber qual o lugar da vez, você sempre volta pra casa com a sensação de que faltou alguma coisa. E que você precisa visitar mais uma vez.

Lá tem de tudo para todo mundo. Literalmente.

Numa cidade assim, onde qualquer um vai encontrar facilmente coisas que lhe agradam, é complicado sugerir passeios, atrações e lugares para ir. Porque há muitas opções, para todos e para os gostos e bolsos.

Justamente por isso eu estava aqui pensando com os meus botões e achei que seria mais útil fazer uma lista de coisas para NÃO se fazer por lá. Desde armadilhas para turistas, a coisas que os locais evitam até passeios supervalorizados. São elas:

 1. pegar táxi

Nova York

Andar de táxi em NY pode até parecer legal nas telas dos cinemas. Mas na vida real a coisa é bem diferente. A primeira dificuldade é conseguir um apesar dos milhares que poluem as ruas da cidade. A concorrência é feroz e ninguém tem vergonha de “roubar” táxi dos outros por lá. Se você não for agressivo e pular dentro do seu assim que ele parar, esqueça. É capaz de você sentar no colo de alguém quando se der conta. Fora isso os motoristas só pegam quem eles têm vontade. Como me irrita!! Para onde você vai? Broadway. Não, não vou pra lá. Poxa, não estou pedindo carona! Estou pagando pelo serviço! Enfim… Para completar, o trânsito de NY não ajuda e os táxis não são tão baratinhos não. A melhor opção é pegar o metrô ou o Uber (). Ou, se o tempo colaborar e você estiver disposto, caminhar. Assim você faz exercício e turismo ao mesmo tempo.

 

Continua após a publicidade

 2. visitar a Estátua da Liberdade

Estátua da Liberdade

Podem me chamar de herege. Mas acho uma perda de tempo ir até a Estátua da Liberdade. São pelo menos US$ 18 só para ir até o Liberty Park de ferry. Para quem quiser subir na moça, o valor aumenta. Mas não se anime muito porque apenas 300 pessoas podem subir por dia e as reservas têm que ser feitas com bastante antecedência. Pra completar, a estátua é bem menor do que parece em fotos e imagens _eu confesso que achei bem decepcionante. Ou seja, não perca tempo e veja nossa amiga apenas de longe, que já é suficiente. A vista desde o Battery Park é excelente.

 

Continua após a publicidade

 3. se restringir a Manhattan

Nova York

Nada de preconceito! Nova York não se limita apenas a Manhattan e há muito mais a explorar do que apenas a famosa ilha. Atualmente muitos dos melhores restaurantes, da vida noturna e da cultura nova-iorquina estão no Brooklyn e no Queens. O sistema de transporte da cidade é excelente e é possível chegar em todos os cantinhos 24 horas por dia. Já foi na Brooklyn Heights Promenade? Queens Museum? Richmond Town? Chega de medo, preguiça ou preconceito. Saia da zona de conforto e explore Nova York de verdade!

 

Continua após a publicidade

 4. comer num restaurante de cadeia

Bistrô

Não me entendam errado. Eu adoro restaurantes de cadeia nos EUA: Olive Garden, Red Lobster, Cheesecake Factory, Bubba Gump, etc, etc… Mas Nova York é o tipo da cidade onde perder mais de uma hora na fila de um destes restaurantes é um crime! Uma cidade com tantas opções de restaurantes de todos os tipos de cozinha possíveis e imagináveis… NY está cheia de lugares modernos, gostosos, baratos, caros, sossegados, agitados. E hoje em dia é tão fácil baixar um aplicativo legal de comidas e escolher um pertinho de você! Fora que fila já basta as que a gente é obrigado a pegar, né?

 

Continua após a publicidade

 5. subir no Empire State Building

Rockefeller Center

Calma, calma! Não estou dizendo que não é para ver NY do alto porque isso seria um sacrilégio. Só acho que não vale a pena pagar US$ 54 para subir no Empire State Building quando o mais legal é poder vê-lo de longe e ainda economizar US$ 30… Sim! Ao invés de enfrentar as filas quilométricas do Empire State, vá ao Top of the Rock, o observatório que fica no não menos famoso Rockefeller Center. A vista de lá é de tirar o fôlego e você ainda ganha o Empire State de brinde nas suas fotos. Dá pra comprar os ingressos pelo site e chegar na hora programada!

 

Continua após a publicidade

 6. pagar por um cruzeiro

Staten Island Ferry

Não me lembro aonde vi esta dica sobre NY e amei. Gostei tanto que já fiz isso algumas vezes. Ao invés de pagar US$ 30 ou mais por um passeio de barco para ver Manhattan do rio Hudson, que tal pegar o Staten Island Ferry que é de graça? O terminal em Manhattan fica no sul da ilha (4 Whitehall Street) e de dentro da balsa você consegue ter uma linda visão da cidade, de Ellis Island e da Estátua da Liberdade. Outra ótima alternativa é o East River Ferry. São várias rotas, a partir de US$ 4 (só de ida) e US$ 12 (o dia todo). De lá você tem uma bela vista de Manhattan, da Brooklyn Bridge e a balsa ainda conecta várias áreas que não são tão acessíveis de metrô.

 

Continua após a publicidade

 7. bloquear calçadas e escadas rolantes

Esqueça Carrie, Miranda, Samantha e Charlotte caminhando lado a lado, tranquilamente, nas calçadas de Nova York num dos episódios de Sex and the City. Isso não existe na vida real. Andar com uma pessoa ao lado já é difícil, imagine outras três… Numa cidade com mais de nove milhões de pessoas, a maioria delas correndo para chegar ao trabalho ou ir pra casa, andar devagar é uma missão complicada. Parar abruptamente então, é pedir para ser nocauteado pelo pedestre que vem atrás. O mesmo acontece nas escadas rolantes do metrô. Nada de ficar parado do lado esquerdo ouvindo música, olhando o mapa ou simplesmente pensando na morte da bezerra. Se é para ficar parado na escada (algo que os nova-iorquinos desconhecem), que seja do lado direito!

 

Continua após a publicidade

 8. desperdiçar a chance de ir ao banheiro

Banheiro

Está acostumado com aquela mordomia de banheiros enormes e limpinhos dos EUA? Pois é… Nova York não e bem assim. A cidade está mais para Europa do que Estados Unidos neste quesito. É daquelas cidades que você tem que apelar para McDonalds e Starbucks da vida para usar o banheiro na hora do desespero e rezar para que ele esteja em bom estado. A situação é tão crítica que existe até um aplicativo, o AirPnP, que te ajuda a “alugar” um banheiro próximo na hora do aperto… Ou seja: se está num restaurante, numa loja ou num museu e viu um banheiro lindinho por perto… use!

 

Continua após a publicidade

 9. passar o Reveillon

Garota observa bola luminosa descer por poste a anunicar a chegada de 2013 em Nova York

Dizem que errar é humano e que insistir no erro é burrice. Pois eu me encaixo nesta categoria dos burros. Porque cometi este erro uma vez e insisti uma segunda vez. Acho que agora aprendi, mas não posso prometer… Há várias razões para não se passar a virada do ano em Nova York (apesar de eu amar a cidade mais que chocolate, como já falei). É caro, a cidade fica lotada, é difícil comprar, comer, andar. O frio nesta época é de matar (e olha que já passei Reveillon no Canadá, heim). E pra completar as opções para a hora da virada são: congelar ou ser pisoteado na Times Square, congelar no Central Park, pagar uma fortuna em um restaurante ou festa fechada ou então ficar no seu quarto de hotel. Gosto é gosto, mas eu acho que há lugares mais legais para brindar a chegada de um ano novo.

 

Continua após a publicidade

 10. gastar tempo na Times Square

Times Square

Já falei o que penso da Times Square neste outro post aqui, mas repito. Não gaste mais de dez minutos por lá a não ser que você esteja indo a um show da Broadway ou coisa parecida. É gente demais, muvuca demais e não há nada de especial que mereça mais de dez minutos do seu dia. Telões, letreiros, luzes? Em Tóquio têm melhores… Gente fantasiada de Elmo e pintada de prateado? Quero distância… Filas e filas nos restaurantes? Ande duas quadras e garanto que você vai achar algum ouro lugar bacana para comer. Se você não conhece, vale a pena passar por lá. Se já conhece, use seu tempo para descobrir algo novo. Agora se você quer fazer uma coisa legal, passe pela Times Square depois das 23h ou de madrugada, se estiver num bar ou restaurante por perto. As multidões terão desaparecido e você poderá ver o lugar com calma e quem sabe até ter ele só para você.

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês