Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Matheus Leitão

Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

Campanha de Bolsonaro lamenta um erro do presidente no debate

Entenda

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 6 set 2022, 10h16 - Publicado em 29 ago 2022, 15h15

A discussão nesta segunda-feira, 29, na campanha de Jair Bolsonaro, que busca a reeleição, era como o presidente pode jogar fora um ativo político tão importante, o de acuar Lula com o tema corrupção sem ser confrontado pelos próprios escândalos do seu governo, mas perder a cabeça – atacando mulheres no debate da TV Bandeirantes.

Segundo a coluna apurou, o ataque contra a jornalista Vera Magalhães, da TV Cultura e do Jornal O Globo, foi definido internamente como um “gol contra” em um jogo em que o presidente havia aberto o placar logo no início do jogo.

A partir do momento em que Bolsonaro fez o comentário machista contra a jornalista (a coluna não vai repetir o que o presidente falou em respeito à Vera e ao seu trabalho), o mandatário foi imediatamente aconselhado a destacar “medidas da sua gestão” para as mulheres para tentar contrapor ao erro cometido no curso do debate.

Como se sabe, Bolsonaro tem tentado melhorar sua imagem junto ao público feminino e diminuir a forte rejeição que o político da extrema-direita tem com esse segmento do eleitorado, exatamente por sua extensa trajetória política com declarações misóginas e machistas.

Continua após a publicidade

Para isso, tem usado constantemente a primeira-dama Michelle Bolsonaro, que aceitou o papel de tentar diminuir a resistência do presidente entre as mulheres. Michelle, inclusive, tem sido elogiada pela boa oratória, e por estar conseguindo falar muito bem com as evangélicas, e até com as mulheres mais pobres.

Ocorre que, volta e meio, o presidente coloca tudo a perder. Não foi só no debate deste domingo, 28.

Recentemente, após a primeira-dama “brilhar” (ao menos na avaliação da campanha) na convenção do PL, Bolsonaro afirmou que ela aprendeu Libras porque falava alto em casa e que ela pede dinheiro todo dia.

Continua após a publicidade

Mais um gol contra, na avaliação dos seus assessores mais próximos.

O mandatário ainda fez um arremedo quando respondeu Simone Tebet, que disse no debate – com razão – que houve suspeita de corrupção no caso da vacina Covaxin. “A senhora é uma vergonha para o Senado Federal e não estou atacando mulheres não. Não venha com historinha de atacar mulheres, de se vitimizar”, disse.

O estrago, neste momento, estava feito. É o que pensam na sua campanha.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.