Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

A nova crise do governo Lula, e que envolve Fernando Haddad

Entenda

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 10 Maio 2024, 08h16 - Publicado em 30 out 2023, 14h40

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, tentou desfazer a demolidora declaração de Lula sobre a meta fiscal de 2024, mas não conseguiu completamente.

Sejamos honestos também: era bastante difícil para Haddad cravar que o presidente da República não falou exatamente que disse.

Lula não se importou com consequência alguma ao dizer que a meta fiscal de Haddad era inatingível e que, mesmo que fosse possível, não é tão necessária.

“A gente não precisa disso. Eu não vou estabelecer uma meta fiscal que me obrigue a começar o ano fazendo corte de bilhões nas obras que são prioritárias para esse país. Então eu acho que muitas vezes o mercado é ganancioso demais e fica cobrando uma meta que eles sabem que não vai ser cumprida. […] Se o Brasil tiver um déficit de 0,5%, o que é? De 0,25%, o que é? Nada. Praticamente nada”, disse o presidente na última sexta, 27.

Continua após a publicidade

Agora, nesta segunda, 30, o ministro da Fazenda disse duas coisas para tentar desfazer o estrago no mercado financeiro e no Congresso Nacional causado pela declaração do presidente.

“A minha meta está mantida. […] Lula [também] está preocupado com a meta fiscal”.

Não resolve, mas ajuda a acalmar ao menos o dia de hoje.

Continua após a publicidade

É preciso lembrar que, após o presidente desautorizar Haddad publicamente, o Congresso já deu sinais de que não gostou. 

“As declarações do presidente Lula sobre o abandono da meta fiscal causam constrangimento ao ministro Haddad, que tem lutado muito para atingir o deficit zero. Trata-se de uma fala brochante para a pauta econômica, que sofre resistências no Legislativo”, afirmou o deputado Danilo Forte, relator da LDO.

A situação ficou tão ruim que o ministro Alexandre Padilha, das Relações Institucionais, veio a público dizer que Lula e Haddad estão em absoluta sintonia, mesmo após a forte desafinada da semana passada.

Continua após a publicidade

Se não houvesse um problema, Padilha não precisaria falar isso ao país.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.