Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Marcela Rahal Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Marcela Rahal
Jornalista, repórter e apresentadora. Blog de informação e análise do cenário político nacional
Continua após publicidade

A iminência do caos em Maceió por causa da mina da Braskem

A previsão era de que a estrutura da empresa pudesse entrar em colapso às 6 horas da manhã desta sexta-feira (1) e afundasse 5 bairros da capital

Por Marcela Rahal
Atualizado em 2 dez 2023, 08h31 - Publicado em 1 dez 2023, 13h53

O risco iminente de colapso de uma mina de exploração de sal-gema da petroquímica Braskem, na Lagoa Mundaú, no bairro do Mutange, deixaram as autoridades em alerta máximo. Um decreto da prefeitura, assinado na última quarta-feira (29), declarou situação de emergência na capital de Alagoas por 180 dias. Com isso, governos municipal, estadual e federal foram acionados para atuarem em conjunto no gerenciamento da crise.

Havia uma previsão de que a estrutura pudesse eclodir nesta sexta-feira, às 6 horas da manhã. O que felizmente não aconteceu. O fato é que a tragédia pode se concretizar a qualquer momento.

O problema, no entanto, se arrasta desde 2018, quando tremores foram sentidos por moradores. Depois, foi constatado que uma das 35 minas da empresa desmoronou e outras tinham deformidades. De lá pra cá, a situação vem piorando abruptamente. Hoje a cidade vive uma situação dramática, a mina está cedendo, em média, 53 centímetros por dia, segundo a Defesa Civil Municipal. A profundidade já é de 1,42 metro.

Cerca de 60 mil pessoas já saíram de casa desde o início dos tremores. Os deslocamentos continuam nos bairros de Mutange, Bom Parto, Farol, Bebedouro e Pinheiro. As consequências da ruptura da mina ainda são imprevisíveis, com potencial para ser uma das maiores tragédias do país.

Parlamentares do estado, como o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP), e senador Renan Calheiros (MDB) estão se mobilizando após o alerta de emergência. O presidente da Câmara está na cidade e afirmou, nas redes sociais, que acionou o governo federal.

Continua após a publicidade

“Entrei em contato com o Ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Goes, solicitando prontidão e alerta da Defesa Civil Nacional para acompanhar as graves consequências geradas pela exploração das minas pela Braskem, em Maceió”, afirmou.

Seu adversário político, Renan, interrompeu sua licença médica por conta de uma cirurgia no olho, para reforçar a necessidade de ajuda imediata do governo federal e da investigação da atuação da petroquímica, na CPI da Braskem, de autoria do senador.

Em julho deste ano, a Braskem fechou um acordo com a Prefeitura de Maceió para ressarcir o município em 1,7 bilhão em razão do afundamento do solo para a realização de obras de contenção e assistência aos moradores atingidos.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.