Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Quem tem maior rejeição no momento, Lula ou Bolsonaro?

Nova pesquisa avaliou como anda a imagem hoje das duas forças políticas do país

Por Valmar Hupsel Filho
9 fev 2024, 10h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu antecessor, Jair Bolsonaro, emparelham ombro a ombro quando o assunto é rejeição dos eleitores brasileiros. Levantamento feito pelo Paraná Pesquisas apontou que, entre os entrevistados, 44,8% disseram que não votam em Bolsonaro para presidente de jeito nenhum, enquanto 46,9% afirmaram o mesmo sobre Lula.

Embora Bolsonaro fique um pouco melhor na foto da rejeição do que Lula, numericamente falando, os dados mostram um empate técnico na rejeição de Lula e Bolsonaro dentro da margem de erro da pesquisa, que é de 2,2 pontos porcentuais para mais e para menos. O cenário que se espelha no resultado da acirrada disputa entre os dois pela Presidência da República em 2018 e indica que o cenário político polarizado ainda permanece.

Para se ter uma noção desta polarização, nas duas sondagens, mais de 99% dos entrevistados manifestaram sua opinião sobre eventuais candidaturas de Lula e Bolsonaro. Menos de 1% dos eleitores que foram consultados afirmaram que não saberiam responder.

A pedido do PL, partido de Bolsonaro, o Paraná Pesquisas ouviu 2026 eleitores em 26 Estados e no Distrito Federal entre os dias 24 e 28 de janeiro. A taxa de confiança é de 95%.

O instituto de pesquisas também aferiu a fidelidade do eleitor brasileiro dos dois lados do polarizado cenário político. Os que disseram que com certeza votariam em Lula foram 28,6%. Bolsonaro ficou com 26,4% – novamente um empate técnico.

Continua após a publicidade

No quesito potencial eleitoral, Lula e Bolsonaro empatam novamente na margem de erro. Os eleitores que disseram que poderiam votar em Bolsonaro para presidente são 24,% enquanto 23% afirmaram que poderiam optar por Lula para o mesmo cargo.

Lula está em seu terceiro mandato e já manifestou publicamente seu interesse em concorrer à reeleição em 2026. Já Bolsonaro, embora tenha declarado nesta semana a VEJA que pretende se candidatar nas próximas eleições, reeditando a disputa de 2018, foi condenado duas vezes pelo Tribunal Superior Eleitoral por abuso de poder político e uso indevido de meios de comunicação na eleição passsada e ficou inelegível até 2030.

Negação

O cientista político Carlos Melo, professor do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), afirma que a força mais importante no cenário político brasileiro nos últimos anos é a da rejeição. Segundo ele, o eleitor tem escolhido seu candidato mais para evitar que o adversário seja eleito do que pelas qualidades do destinatário do voto. “É a política da negação do outro”, afirma o especialista. “O bolsonarismo contém o antipetismo e é maior que ele, e o antibolsonarismo engloba o petismo e outras forças que foram responsáveis pela eleição do Lula para o terceiro mandato”, completa o pesquisador.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.