Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Qual será o peso de Lula e Bolsonaro nas eleições municipais deste ano

Os dois líderes políticos se movimentam para influenciar nas disputas de capitais importantes, como São Paulo

Por Valmar Hupsel Filho
9 fev 2024, 13h00

Embora estejam se movimentando para influir na eleição municipais nas principais cidades do país, é relativa a capacidade de transferência de capital político do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Levantamento realizado pelo Paraná Pesquisas apontou que 42,6% dos entrevistados disseram que o apoio de Bolsonaro a um candidato a prefeito não interfere na decisão pelo voto. No caso de Lula, o percentual dos que fizeram a mesma afirmação é de 35,4%.

O Paraná Pesquisas ouviu 2026 eleitores em 26 Estados e no Distrito Federal entre os dias 24 e 28 de janeiro. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais e para menos e a taxa de confiança é de 95%. A pesquisa foi feita a pedido do PL, partido de Bolsonaro.

O levantamento apontou que 31% dos entrevistados disseram que o apoio de Lula a um candidato aumenta as chances de votar nele. Para 29,2% as chances de um concorrente ser votado aumentam para 29,2% dos entrevistados.

Por outro lado, 31% dos eleitores disseram que as chances de um candidato ser votado por eles diminuem quando ele tem apoio declarado de Lula. Outros 25,3% disseram que se o apoio for de Bolsonaro, a vontade de votar no candidato diminui.

Continua após a publicidade

Especalistas avaliam que o cenário nacional geralmente tem baixa influência na decisão de voto do eleitorado. No pleito municipal, o eleitor mais preocupado com questões de seu dia a dia, como limpeza de ruas e poda de árvores.

São Paulo

No cenário político ainda polarizado entre lulistas e bolsonaristas apontado pela pesquisa, no entanto, Lula e Bolsonaro têm se movimentado para exercer influência ao menos nas cidades mais importantes do país. Em São Paulo, a principal delas, o presidente interferiu diretamente na formação da chapa do deputado federal Guilherme Boulos (Psol), que lidera as pesquisas de intenção de votos. A atuação de Lula foi determinante para que a ex-prefeita da capital paulista Marta Suplicy retornasse ao PT após anos de afastamento e fizesse parte da chapa de Boulos como candidata a vice. Bolsonaro, por sua vez, apoia a candidatura à reeleição do atual prefeito, Ricardo Nunes (MDB). O ex-presidente indicou o coronel Melo Araújo, ex-comandante da Rota e ex-presidente da Ceagesp, para a vice de Nunes. O prefeito ainda não bateu o martelo sobre essa indicação.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.