Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Presidente da Enel Brasil deixa o cargo na esteira de crise energética

Nicola Cotugno havia comunicado sua aposentadoria à empresa em outubro

Por Da Redação
Atualizado em 23 nov 2023, 17h33 - Publicado em 23 nov 2023, 17h27

O presidente da Enel Brasil, Nicola Cotugno, deixou a sua posição nesta quinta-feira, 23, após cinco anos à frente da empresa. A saída foi comunicada pela distribuidora em nota enviada à imprensa.

Segundo a assessoria da Enel, Cotugno já havia anunciado ao conselho administrativo da distribuidora que pretendia se aposentar no mês passado, antes da crise energética no início de novembro que deixou milhões de clientes da empresa no escuro em São Paulo. “O conselheiro Nicola Cotugno informou aos presentes que está se desligando do grupo Enel por motivo de aposentadoria e que, portanto, deixará de exercer as funções de membro do Conselho de Administração da Companhia a partir de 30/10/23”, diz a ata da reunião.

O comunicado diz que Cotugno decidiu adiar sua aposentadoria para 22 de novembro “para apoiar o processo de substituição e as recentes contingências”. Ele será sucedido pelo executivo Antonio Scala, que atua há 18 anos na distribuidora — até a sua nomeação, o cargo será ocupado interinamente pelo presidente do Conselho de Administração, Guilherme Gomes Lencastre. Tanto Scala quanto Cotugno são nascidos na Itália, onde está localizada a sede da Enel.

A Enel enfrenta forte pressão pública e governamental após o apagão de enormes proporções ocorrido em 4 de novembro, em São Paulo, devido aos temporais do dia anterior. Cerca de 2,1 milhões de usuários em todo o estado ficaram sem luz, e a empresa levou cinco dias para restaurar completamente o fornecimento de energia. Atualmente, a concessionária é alvo de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) em andamento na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), e na Câmara Municipal.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.