Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Marcola interpela deputado bolsonarista no STF por fala em podcast

Preso na Penitenciária Federal de Brasília, líder do PCC cobra explicações de Sargento Fahur sobre declarações acerca de suposto problema de saúde

Por João Pedroso de Campos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 17 abr 2023, 16h40 - Publicado em 17 abr 2023, 15h55

Chefe do Primeiro Comando da Capital (PCC), a maior facção criminosa do país, Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, interpelou judicialmente, junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), o deputado federal Sargento Fahur (PSD-PR).

A defesa de Marcola quer que o deputado paranaense, policial aposentado, explique declarações dadas por ele em um podcast no último dia 10. Em entrevista ao Fala Glauber Podcast, Fahur ironizou um suposto problema de saúde do líder do PCC, do qual teria ficado sabendo durante visita à Penitenciária Federal de Brasília, onde Marcola está preso.

“Eu estive no presídio federal de Brasília, onde está o Marcola, e os caras contaram para mim que o Marcola toma medicamentos fortíssimos, que, se ele não tomar, ele c… sangue”, disse o deputado. “Ele enfiava a bateria e ela foi soltando lá o produto, então hoje ele tá podre. Se não tomar remédio, c… sangue”, completou.

Na interpelação judicial no STF, o advogado de Marcola incluiu duas questões que pretende ver respondidas por Sargento Fahur. A primeira questiona se o deputado buscou confirmar, inclusive junto ao prontuário médico do presidiário, a informação que divulgou na entrevista. A outra indaga, supondo que o deputado tenha falado a verdade, qual foi a “justa causa” para que Fahur expusesse em um podcast uma informação “relativamente sigilosa, cuja obtenção deu-se em razão do cargo de deputado federal”.

Continua após a publicidade

“Não se busca nesta via investigar eventual elemento subjetivo do tipo na conduta do requerido, tampouco produzir qualquer tipo de prova, mas, sim, entender a nebulosa situação por ele posta através de um podcast amplamente divulgado”, diz a petição.

O pedido de Marcola ao STF inclui também a solicitação para que seja concedido a ele o direito de gratuidade de Justiça. Segundo a defesa do chefe da maior facção criminosa do país, trata-se de “pessoa presa, sem possibilidade – mínima – de arcar com eventuais taxas e custas” do processo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.