Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Câmara: CCJ aprova projeto que veta Bolsa Família para invasor de terra

Relatado pelo ex-ministro Ricardo Salles, proposta é parte do pacote 'anti-invasão' impulsionado pela bancada ruralista no Congresso

Por Laísa Dall'Agnol Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 9 Maio 2024, 12h04 - Publicado em 23 abr 2024, 20h36

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira, 23, um projeto que impede que invasores de propriedade privada participem de programas sociais do governo federal como o Bolsa Família. O projeto de lei (PL) 709/2023 é parte do pacote “anti-invasão” da bancada ruralista, que tem ganhado tração neste mês, quando o Abril Vermelho, ofensiva tradicional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) pela reforma agrária, já computa invasões em ao menos dezoito estados.

Relator da proposta no colegiado, o deputado Ricardo Salles (PL-SP) inseriu de última hora um dispositivo no texto para que invasões cometidas com base em “pressão política” não sejam blindadas. “Muitas decisões tinham sido tomadas, dizendo: ‘Isso é só para pressão política, e se for só pra pressionar, pode [invadir terras]. Não, não pode. A lei agora é expressa no sentido de que tudo isso é crime e quem se beneficia disso não pode ter nenhum tipo de benefício estatal”, afirmou o deputado.

De autoria do deputado Marcos Pollon (PL-MS), o projeto ainda veta que o invasor ocupe cargos públicos, seja ele concursado ou comissionado. “Esses projetos reunidos significam que aquele que invade, que comete crime de esbulho possessório, sequestro, roubo, crimes sob o argumento de reforma agrária, não poderá receber nenhum tipo de recurso público, seja Bolsa Família ou auxílio de qualquer natureza”, diz Salles.

A aprovação do PL 709/2023 foi comemorada pela Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), grupo que tem alavancado o pacote “anti-invasão” que, ao todo, conta com dezessete propostas. “Acabou a ladainha de ocupar só por pressão política. É um programa sério, um projeto correto, que faz com que a gente consiga tolher e eliminar a possibilidade da invasão de terras no Brasil. Mais uma vitória do pacote anti-invasão nesse vergonhoso Abril Vermelho, que nós aqui estamos transformando no Brasil Verde Amarelo”, declarou o deputado Pedro Lupion (PP-PR), presidente da FPA.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.