Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A conta de ACM Neto para derrubar a filiação de Moro ao União Brasil

O grupo do secretário-geral do partido vai reagir às declarações do ex-ministro de que não desistiu de se candidatar à Presidência da República

Por João Pedroso de Campos Atualizado em 1 abr 2022, 20h34 - Publicado em 1 abr 2022, 19h19

O grupo do União Brasil ligado ao ex-prefeito de Salvador ACM Neto pedirá a impugnação da filiação do ex-ministro da Justiça Sergio Moro ao partido, concretizada na quinta 31, como informou o Radar. Ex-presidente do DEM, Neto é o secretário-geral do União, nascido da fusão de sua antiga sigla com o PSL, e um opositor de qualquer hipótese de que Moro concorra à Presidência da República pelo novo partido. O ex-prefeito disputará o governo da Bahia em outubro.

Para de fato conseguir derrubar Moro, o cacique baiano tem na ponta da caneta um cálculo que garantiria o sucesso da articulação: pedirão a impugnação os oito nomes egressos do DEM com direito a voto no União Brasil, o equivalente a 49% dos votos. Os nomes ligados a Luciano Bivar, presidente do União e responsável pela filiação do ex-ministro, respondem pelos demais 51%. No entanto, para que a filiação seja mantida, seriam necessários 60% dos votos, número que a ala bivarista não conseguiria alcançar.

Além de ACM Neto, assinarão a impugnação o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, o senador Davi Alcolumbre (AP), os deputados Efraim Filho (PB) e Professora Dorinha Seabra (TO), o prefeito de Salvador, Bruno Reis, o ex-senador José Agripino e o ex-ministro Mendonça Filho. O grupo já havia divulgado ontem uma manifestação em que se opôs de modo firme à candidatura presidencial de Moro pelo União Brasil, embora reconhecesse que ele poderia “contribuir para o cenário político nacional”. Nesta sexta, em declarações dadas em São Paulo, o ex-ministro negou que será candidato a deputado federal pelo estado e manteve a possibilidade de concorrer ao Palácio do Planalto.

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)