Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

É tudo história

Por Coluna
O que é fato e ficção em filmes e séries baseados em casos reais
Continua após publicidade

Dr. do além e cirurgia com faca: o médium real por trás de ‘Predestinado’

Filme de 2022 chegou recentemente à Netflix e foi alçado aos mais vistos da plataforma com a história de Zé Arigó

Por Amanda Capuano Atualizado em 9 Maio 2024, 12h27 - Publicado em 11 abr 2024, 09h00

Lançado em 2022 nos cinemas, o filme nacional Predestinado: Arigó e o Espírito de Dr. Fritz chegou à Netflix recentemente e entrou para o ranking de filmes em língua não inglesa mais vistos da plataforma nesta semana, com 900.000 horas reproduzidas. Inspirado em uma história real, o longa protagonizado por Danton Mello narra a jornada de Zé Arigó, médium que ganhou visibilidade na segunda metade do século XX por suas cirurgias — espirituais e físicas — supostamente feitas através da incorporação do espírito do médico alemão Dr. Fritz, morto durante a Primeira Guerra Mundial.

Nascido José Pedro de Freitas, na cidade mineira de Congonhas, Zé Arigó era um dos oito filhos de um casal de sitiantes e estudou apenas até a terceira série. Segundo a biografia Arigó e O Espírito do Dr. Fritz (1974), de John Fuller, base do filme, ele demonstrou os primeiros sinais de mediunidade ainda na infância, mas foi só aos 29 anos, em 1950, que começou a desenvolver a relação com a espiritualidade. Com dores de cabeça constantes e visões incompreensíveis, julgou estar ficando louco e procurou ajuda médica, mas nenhuma intercorrência foi diagnosticada. Um padre foi chamado para sessões de exorcismo, também sem efeito. Contam os biógrafos que, certo dia, em um sonho nítido, a figura que o atormentava se identificou como Adolph Fritz, médico alemão morto durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918). O espírito, então, teria lhe incumbido a missão de realizar tratamentos na Terra através dele. 

.
(Luz Espírita/Reprodução)
.
Zé Arigó durante uma de suas prisões (Instagram/Reprodução)

Incorporando o profissional, Arigó começou a realizar cirurgias e atendimentos médicos sem custo, e estima-se que 4 milhões de pessoas tenham sido atendidas durante as duas décadas em que esteve na ativa. Sem conhecimento técnico, ele realizava procedimentos com canivetes e facas de cozinha, sem anestesia ou assepsia, mas os pacientes alegavam não sentir dor. Por sua atuação, chegou a ser preso duas vezes por curandeirismo e exercício ilegal da medicina — na primeira, em 1957, foi denunciado por um padre, mas recebeu um indulto do então presidente Juscelino Kubitscheck (1902-1976), que teria levado sua filha para ser tratada pelo médium, e saiu livre; na segunda, em 1961, ficou sete meses na cadeia.

Reconhecido por arrastar multidões no Brasil, Arigó chamou atenção também no exterior: uma equipe de pesquisadores norte-americanos foi até Congonhas para conhecer e registrar os métodos do médium, entre eles, o médico Henry Puharich, que teria sido operado de um lipoma no braço por ele. “Ele executava procedimentos terrivelmente dolorosos sem qualquer desconforto para os pacientes”, descreve Fuller na biografia. “Ele realizava centenas de operações diariamente sem antissépticos — geralmente com uma faca de cozinha comum ou canivete — sem anestésicos, sem amarrar vasos sanguíneos, sem grandes sangramentos, sem nenhum dos benefícios da ciência moderna”, continua o livro sobre o médium, que morreu em 1971, aos 49 anos, em um trágico acidente de carro.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.