Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Clarissa Oliveira Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Notas sobre política e economia. Análises, vídeos e informações exclusivas de bastidores
Continua após publicidade

O plano mirabolante de uma chapa unindo Michel Temer e Eduardo Leite

Grupo sonha em construir chapa ampla para o ex-presidente e o governador do Rio Grande do Sul, acenando até para uma possível 'presidência compartilhada'

Por Clarissa Oliveira
Atualizado em 17 fev 2022, 17h32 - Publicado em 17 fev 2022, 15h30

Diante da dificuldade da terceira via em decolar, um grupo de políticos distribuídos por vários partidos resolveu sonhar alto com uma chapa de centro para a corrida presidencial. Esse time agora quer repaginar uma ideia que já vinha circulando há algum tempo sem ter lá muita pretensão de virar realidade: lançar o ex-presidente Michel Temer como candidato à Presidência. Até aí, nada de muito novo. Mas o grupo agora fala em trazer o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, para o projeto.

Os articuladores dessa ideia falam em um compromisso nacional pelo fim da reeleição. Se ficar na condição de vice, Leite poderia ser preparado como sucessor do emedebista. Uma outra ideia vai além: fala-se numa espécie de Presidência compartilhada, a ser anunciada ainda durante a campanha. Temer ficaria no cargo nos primeiros dois anos, tocaria reformas e faria um rearranjo da máquina pública. E, depois, entregaria a Presidência a Eduardo Leite. Mas não se descarta Leite como candidato e Temer como padrinho do governador.

A ideia seria unir o MDB e o União Brasil como base da chapa. Mas isso, por si só, não bastaria nem mesmo para convencer Temer. A chave para tornar o acordo viável e inclusive trazer Eduardo Leite para o projeto é uma só: o PSD de Gilberto Kassab.  O partido já fez um convite para que Leite disputa a Presidência, uma vez confirmado o desânimo de Rodrigo Pacheco com o projeto. Kassab, então, poderia trazer ainda toda a ala do PSDB insatisfeita com a candidatura de João Doria.

O plano só tem alguma chance com Kassab. Se a aliança sair, o grupo enxerga então a possibilidade de atrair também outras peças importantes. Partidos menores, nomes que já desistiram da corrida presidencial e outros que possam vir a desistir, líderes empresariais.

Continua após a publicidade

Nas consultas informais que recebeu, Temer, como de costume, não se opôs à empreitada. Mas falta combinar com Kassab, Eduardo Leite e todo o resto. E nada disso, de acordo com um dos defensores do projeto, sai da cartola antes de maio.

Leia também: O resultado da mais nova ajudinha de Michel Temer a Bolsonaro

Relembre a fala de Temer ao Amarelas On Air sobre uma possível candidatura

 

 

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.