Clique e assine a partir de 8,90/mês

Três grandes rios podem ter passado pelo Saara

Segundo pesquisadores, isso pode explicar como o homem teria atravessado o deserto, em direção à Europa e à Ásia

Por Da Redação - Atualizado em 6 Maio 2016, 16h17 - Publicado em 16 set 2013, 16h46

O deserto do Saara, considerado o mais quente do planeta, já foi banhado por três grandes rios perenes – nos quais há sempre água fluindo – por volta de 100.000 anos atrás. É o que mostra um novo estudo feito por uma equipe de pesquisadores do Reino Unido e da Alemanha e publicado no periódico Plos One. A pesquisa sugere ainda que a presença desses rios pode ter criado as condições necessárias para a migração humana que saiu da África em direção à Ásia e à Europa.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Were Rivers Flowing across the Sahara During the Last Interglacial? Implications for Human Migration through Africa

Onde foi divulgada: periódico Plos One

Quem fez: Tom J. Coulthard, Jorge A. Ramirez, Nick Barton, Mike Rogerson e Tim Brücher

Instituição: Universidade de Hull, Reino Unido, e outras

Resultado: O deserto do Saara já foi banhado por três grandes rios perenes por volta de 100.000 anos atrás. Esses rios teriam desaparecidos sob as dunas de areia. A presença desses rios pode ter criado as condições necessárias para a migração humana da África para a Ásia e a Europa.

Durante o período entre as duas eras glaciais mais recentes – há 100.000 ou 130.000 anos – as monções africanas alcançavam cerca de 1.000 quilômetros mais ao norte do que atingem hoje, e levavam chuvas torrenciais para as montanhas ao Sul do deserto do Saara. Essas monções são ventos sazonais geralmente associados à alternância entre a estação das chuvas e a da seca.

Continua após a publicidade

Utilizando dados topográficos da região, os pesquisadores simularam em programas de computador como a água teria fluído em direção ao Norte naquele período – formando lagos e rios que, em alguns casos, chegavam até o Mar Mediterrâneo.

Os resultados mostraram que os maiores rios teriam, no período de cheias, cerca de um quarto da água do Nilo cada um. Segundo os autores, esses rios podem ter criado “corredores verdes” de água e vegetação no meio do deserto, permitindo a migração para o Norte e, eventualmente, para outros continentes, como a Europa e a Ásia. Eles acreditam que os leitos dos rios ainda estão no deserto, mas foram cobertos pelas dunas.

Estudos anteriores mostraram que os humanos viajaram pelas montanhas do Saara em direção às regiões mediterrâneas, mais férteis, mas a maneira como isso foi possível ainda é alvo de especulações dos pesquisadores. A presença desses rios no Saara fornece uma possível explicação para o trajeto percorrido pelo homem em sua migração para fora da África.

Leia também:

Cientistas contam com Saara para 50% da energia mundial

Fragmentos de meteorito ‘não alterado’ são encontrados no Saara

Confira o mapa

O deserto do Saara é conhecido como o mais quente deserto do mundo. Ele está localizado ao Norte do continente africano, com uma área equivalente à de todo o terriório dos Estados Unidos. O deserto está presente nos países: Argélia, Chade, Egito, Líbia, Mali,Mauritânia, Marrocos, Níger, Saara Ocidental, Sudão e Tunísia.

Continua após a publicidade
Publicidade