Clique e assine a partir de 8,90/mês

Selfies já mataram mais que ataques de tubarão neste ano

De acordo com levantamento, em 2015 doze pessoas morreram fazendo selfies e apenas oito não sobreviveram a ataques de tubarão

Por Da Redação - Atualizado em 6 Maio 2016, 16h01 - Publicado em 22 set 2015, 16h26

De acordo com as estatísticas, é mais provável alguém morrer tirando uma foto de si mesmo do que em um ataque de tubarão. Um levantamento feito pelo site americano de notícias Mashable computou todas as mortes acidentais que aconteceram enquanto alguém tirava uma selfie e os ataques fatais de tubarão neste ano. Foram doze mortes durante as fotos e oito em ataques de tubarões.

Leia também:

Como sobreviver a um ataque de tubarão

“Selfie” é a nova maneira de expressão. E autopromoção

O histórico dos acidentes mostra que as mortes costumam acontecer de maneira trágica: as pessoas são atropeladas por trens, caem em abismos ou sofrem acidentes ao fazer poses perigosas para aparecer nas fotografias. Na última semana, um turista japonês de 66 anos não sobreviveu a uma queda nas escadas do Taj Mahaj, na Índia, enquanto tentava tirar uma selfie. “Não está claro se o número de selfies perigosos está aumentando, mas uma quantidade cada vez maior de turistas vem ganhando o noticiário por suas tentativas de conseguir uma foto memorável”, diz a publicação do Mashable.

Proibições – Esse tipo de fotografia foi proibido recentemente em um zoológico no Colorado, nos Estados Unidos, porque os visitantes se aproximavam demais dos ursos para fazer as imagens. O Parque Yellowstone tem alertado os turistas sobre selfies depois que cinco pessoas levaram chifradas de bisões enquanto posavam para as fotos, e a Disney proibiu o uso de paus de selfie em seus briquedos, em maio, por medida de segurança. Na Rússia, os acidentes durante as fotografias se tornaram tão frequentes que o governo criou uma cartilha para orientar sobre os riscos desse tipo de imagem.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade