Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mais de 300 espécies são descobertas no Sudeste Asiático

De acordo com o relatório do WWF, animais e vegetais já correm riscos

De um esquilo-voador gigante a um lagarto arco-íris, cientistas identificaram 367 novas espécies na região do Grande Mekong, no Sudeste Asiático, em 2012 e 2013. Mal foram catalogadas, essas espécies já correm o risco de desaparecer, de acordo com um novo relatório do Fundo Mundial para a Natureza (WWF, na sigla em inglês) divulgado esta semana. A região onde foram descobertas está entre as cinco com a biodiversidade mais ameaçada do mundo.

“Estas descobertas situam o Mekong na lista das regiões mais ricas em biodiversidade do planeta”, declarou Thomas Gray, especialista do WWF nesta região, que abrange Vietnã, Camboja, Laos, Tailândia, Mianmar, a província chinesa de Yunnan e a região autônoma de Guangxi, também na China. “Se quisermos evitar que estas novas espécies entrem em extinção e manter a esperança de descobrir outras criaturas fascinantes nos próximos anos, é primordial que os governos invistam na preservação e em estratégias de desenvolvimento sustentáveis”, acrescenta.

O comércio ilegal de espécies silvestres, que rende 16 bilhões de dólares por ano em todo o mundo é considerado o principal culpado pelo desaparecimento dos animais. “O comércio de espécies silvestres, incentivado tanto pelo consumo local quanto pelo mercado mundial de produtos selvagens de luxo, é uma das maiores ameaças à biodiversidade na região do Mekong”, diz o relatório.

Leia também:

Cientistas brasileiros descobrem nova espécie de gato selvagem

Biólogos identificam duas novas espécies de lêmures

Descobertas – Entre as novas espécies estão 290 vegetais, 24 peixes, 21 anfíbios, 28 répteis, uma ave e três mamíferos. Um esquilo-voador gigante com pelo branco e avermelhado, nunca visto na natureza, foi encontrado em um mercado de carne de caça no Laos. O único pássaro encontrado, o costureiro-do-Camboja (Orthotomus chaktomuk), tem corpo cinza e cabeça alaranjada. Seu nome vem do modo complexo como ele constrói seu ninho, usando folhas de árvores. Ele se encontra na categoria de espécies quase ameaçadas da lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN, na sigla em inglês).

Uma nova espécie de morcego também foi encontrada, na ilha de Cat Ba, no Vietnã. Os especialistas acreditam que o nariz peculiar do morcego-nariz-de-folha de Griffin (Hipposideros griffini) pode ajudar na sua ecolocalização, uma habilidade parecida com um sonar que esses animais usam para se guiar. Foram descobertos ainda uma lagartixa voadora, um lagarto arco-íris, uma cobra d’água cujo padrão da pele lembra a máscara do Zorro, um pequeno peixe que tem os órgãos sexuais atrás da boca (e por isso copula por ela) e uma aranha cega.

(Com Agência France-Presse)