Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Maior vírus já encontrado “volta à vida”

Em laboratório, vírus gigante de 30 mil anos voltou a infectar amebas. Ele não oferece perigo aos humanos, mas demonstra que agentes assim, dormentes por milênios, podem significar uma ameaça à saúde

Por Da Redação
Atualizado em 6 Maio 2016, 16h13 - Publicado em 4 mar 2014, 17h33

Um vírus gigante, de 30 mil anos, voltou à vida em laboratórios franceses. Chamado Pithovirus sibericum, ele é o maior já encontrado por cientistas, com 1,5 micrômetro de comprimento (um micrômetro equivale à milésima parte do milímetro). O novo agente não oferece perigo aos humanos, mas sua descoberta, publicada nesta segunda-feira na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), mostra que é possível um vírus permanecer contagioso depois de milênios.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Thirty-thousand-year-old distant relative of giant icosahedral DNA viruses with a pandoravirus morphology

Onde foi divulgada: periódico PNAS

Quem fez: Matthieu Legendre, Julia Bartoli, Lyubov Shmakova, Sandra Jeudy, Karine Labadie, Annie Adrait e outros

Continua após a publicidade

Instituição: Universidade Aix-Marseille, na França, e outras

Resultado: Os cientistas encontraram um vírus datado de 30 mil anos que voltou a infectar colônias de amebas

Encontrado na Sibéria, enterrado a 30 metros do solo, ele permanecia dormente em uma camada chamada permafrost, formada por gelo, terra e rochas geladas. Depois de descongelado, voltou a ser contagioso. O grupo de cientistas, liderados por pesquisadores da Universidade Aix-Marseille, na França, colocou o vírus em contato com amebas, que começaram a morrer. Assim que os cientistas analisaram esses organismos, perceberam que o vírus gigante estava se multiplicando dentro deles.

Leia também:

Cientistas descobrem novo vírus gigante

Estimada pela primeira vez a quantidade de vírus existentes nos mamíferos

Vírus assim infectam exclusivamente estruturas unicelulares, como a ameba, porque é mais fácil entrar nelas. Elas se alimentam por um processo chamado fagocitose, que engloba partículas estranhas – como o vírus gigante. A maior parte das células humanas e de outras células animais têm processos de defesas mais sofisticados e, por isso, os vírus que as afetam usam estratégias mais complexas de entrada. É por isso que eles são cerca de cem vezes menores que o vírus gigante e têm apenas 13 genes, como o da gripe. O Pithovirus sibericum tem 500 genes e, de acordo com os pesquisadores, 60% deles não se parecem com nada encontrado na Terra.

Ativo por milênios – Uma das grandes surpresas dos cientistas foi perceber que o vírus pode manter seu poder de contágio por muito mais tempo que o imaginado. Esses agentes permanecem dormentes por anos e dificilmente são eliminados do planeta. Os pesquisadores afirmam que o vírus gigante é uma boa demonstração de como a ideia de que é possível erradicar um vírus está errada e passa uma falsa sensação de segurança. “Um renascimento como esse, de um vírus ancestral que infecta amebas, sugere que o degelo do permafrost, seja por mudanças climáticas ou por explorações industriais na região polar, pode trazer ameaças à saúde humana ou animal”, concluem os cientistas no estudo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.