Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governo americano vai aposentar maioria dos chimpanzés usados em laboratórios

Os Institutos Nacionais de Saúde dos EUA vão afastar 310 animais, que serão levados para santuários. Cerca de 50 continuarão em cativeiro

Os Institutos Nacionais de Saúde (NIH, na sigla em inglês) dos Estados Unidos anunciaram nesta quarta-feira a decisão de restringir o uso de chimpanzés em pesquisas científicas. A instituição decidiu aposentar 310 animais sob sua guarda e levá-los para santuários. Cerca de 50 chipanzés continuarão disponíveis para estudos futuros.

“Vamos reduzir consideravelmente a utilização dos chimpanzés nas pesquisa biomédicas”, afirmou o diretor dos NIH, Francis Collins. “A maioria dos chimpanzés que temos deveria se aposentar”, acrescentou. Segundo o NIH, a decisão será aplicada paulatinamente ao longo dos próximos meses e deverá levar alguns anos até que todos estejam afastados.

A decisão, que será revisada a cada cinco anos, foi tomada com base em um relatório desenvolvido pelo Instituto de Medicina (IOM, na sigla em inglês),a pedido dos NIH, sobre a necessidade de utilizar chimpanzés em estudos científicos.

De acordo com Collins, os animais que continuam em cativeiro serão utilizados principalmente em testes para a vacina da hepatite C ou para estudos do comportamento psicológico da espécie. Eles também não poderão mais se reproduzir.

Problemas de espaço – As autoridades americanas não aceitaram, porém, a recomendação de atribuir um espaço de 93 metros quadrados a cada chimpanzé, por considerar que a necessidade desta medida não foi suficientemente comprovada.

Paralelamente a isso, o Serviço de Peixes e Vida Selvagem dos Estados Unidos(US Fish and Wildlife Service) anunciou na semana passada a intenção de colocar os chimpanzés criados em cativeiro na lista de espécies ameaçadas, o que dificultaria o uso desses animais em estudos.

Leia também:

Um futuro melhor para os animais

Um psiquiatra entre os chimpanzés

(Com Agência France-Presse)