Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dez anos da exploração em Marte mostram que ambiente quente e úmido pode ter abrigado vida

Revelação é da revista 'Science', que comemora a data com uma edição especial sobre as missões no planeta vermelho

Algumas das rochas mais antigas estudadas pela sonda robótica Opportunity demonstram que, há cerca de 4 bilhões de anos, Marte tinha um ambiente úmido e quente, condições favoráveis o bastante para abrigar vida. A revelação está na edição especial da revista Science, publicada nesta sexta-feira em homenagem aos dez anos da aterrisagem das sondas Opportunity e Spirit no planeta.

A edição revisa as descobertas da década e mostra como a análise dos últimos minerais coletados pela missão confirmou que Marte possuía um ambiente menos inóspito do que o atual – o planeta é hoje frio e seco. “Essas rochas são as mais antigas já examinadas na missão e revelam condições mais favoráveis para a vida microbiana do que qualquer outra evidência examinada antes pelas investigações com a Opportunity”, afirma Ray Arvidson, cientista da Universidade de Washington e um dos principais envolvidos na missão.

Nasa

Sondas Spirit e Opportunity

As últimas pesquisas encontraram os mais antigos vestígios de água documentados pela Opportunity. Além disso, a geoquímica das rochas de 4 bilhões de anos indicaram a existência de depósitos aquosos que provavelmente abrigaram vida. “Se em algum momento houve vida no planeta, então esse teria sido o barro de onde ela veio”, afirmou o cientista brasileiro Paulo de Souza, colaborador da missão desde o início de sua operação.

Leia mais:

Robô Opportunity encontra mistério geológico em Marte

Nasa diz que 2014 será “ano da Terra”

Essas evidências mostram que algumas das rochas coletadas pela Opportunity foram formadas em locais menos ácidos que favorecem a vida microbiana. “Quanto mais exploramos Marte, mais interessante ele se torna. Estamos encontrando outros lugares em que o planeta revela ser mais quente e úmido e isso nos motiva a procurar ainda mais evidências de vestígios de vida ali”, afirma Michael Meyer, cientista que lidera o programa de exploração de Marte da Nasa.

Em 2003, a Nasa lançou as missões Spirit e Opportunity para explorar Marte. Elas pousaram no planeta no ano seguinte, com a previsão de explorá-lo por noventa dias. Há dez anos a Opportunity realiza missões em Marte, enquanto a Spirit teve atividades encerradas em 2011. Juntas, fizeram importantes descobertas sobre o passado do planeta.