Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Como evitar fios brancos? Cientistas descobrem resposta definitiva

Segundo estudo, o embranquecimento capilar acontece devido ao interrompimento do fluxo de células-tronco, e o processo pode ser reversível

Por Marília Monitchele Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 27 abr 2023, 19h24 - Publicado em 21 abr 2023, 15h00

Assumir os cabelos grisalhos e brancos é uma tendência forte, especialmente entre as mulheres. Mas há quem ainda invista  em tinturas e tonalizantes para esconder a alvura capilar. Um grupo de pesquisadores da Universidade de Nova York parece ter descoberto uma alternativa para essas pessoas. Os cientistas desvendaram os mecanismos que fazem o cabelo ficar grisalho e acreditam que podem desenvolver um tratamento celular capaz de reverter ou interromper o processo natural de envelhecimento. 

O estudo publicado recentemente na revista Nature afirma que o embranquecimento capilar acontece devido ao interrompimento do fluxo de células-tronco, que ficam presas à medida que o cabelo envelhece, perdendo assim a capacidade de amadurecer e manter a cor dos fios. As células-tronco são camaleônicas, capazes de se converter em diferentes tipos de células, entre suas capacidades também está o movimento de passagem por diferentes compartimentos de crescimento dos fios. Com o processo natural de envelhecimento, essa capacidade de trânsito vai entrando em declínio e a principal consequência é a avalanche acinzentada que toma conta dos nossos cabelos. 

Os cientistas de Nova York, no entanto, conduziram uma série de experimentos em células-tronco de melanócitos de camundongos e humanos. Os melanócitos são os principais controladores da pigmentação capilar. É sua multiplicação contínua dentro dos folículos pilosos que mandam os sinais para a produção da cor. Os pesquisadores descobriram que durante o crescimento dos cabelos, as células giram continuamente entre os compartimentos do folículo piloso em desenvolvimento. E é justamente dentro desses compartimentos que os melanócitos estão expostos aos efeitos que influenciam seu pleno funcionamento. 

Os resultados analisados sugerem que no processo constante do fio envelhecer, cair e voltar a crescer, um número crescente de células-tronco de melanócitos fica presa em um compartimento específico, chamado protuberância do folículo piloso, onde vão se acumulando. Essa simples descoberta pode possibilitar tratamentos que reestabeleçam o fluxo contínuo de células, que vai sendo interrompido com o passar do tempo. Se assim for, é bem possível que em um futuro próximo, as colorações e tingimentos sejam substituídos por técnicas muito mais duradouras de coloração celular. 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.