Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cientistas encontram evidências de era glacial em Marte

Ao fazer medições de radar nas camadas de gelo polar do planeta, pesquisadores descobriram que Marte viveu uma era glacial há cerca de 370.000 anos

No mês em que Marte está o mais próximo da Terra do que esteve em anos, cientistas reportaram na revista especializada Science que o planeta vermelho viveu uma era glacial após atravessar múltiplas fases de mudança climática. Pesquisadores do Southwest Research Institute relataram que, ao utilizar imagens realizadas pela Nasa e fazer medições de radar nas camadas de gelo polar, eles descobriram que Marte viveu uma era do gelo há cerca de 370.000 anos.

No estudo, o pesquisador Isaac Smith, do Southwest Reasearch Institute, nos Estados Unidos, e sua equipe, foram capazes de datar as diversas camadas de gelo no planeta. As evidências foram obtidas pelo equipamento da sonda espacial Mars Reconnaissance Orbiter, da Nasa, lançada em 2005 e destinada a aumentar o conhecimento sobre o planeta vizinho.

Leia também:
SpaceX planeja enviar módulo espacial para Marte em 2018
Misteriosa ‘couve-flor’ mineral pode ser novo indício de vida em Marte

De acordo com os pesquisadores que estudaram as camadas polares durante oito anos, as eras glaciais no planeta teriam sido formadas de forma semelhante à que ocorreu na Terra: mudanças de longo prazo na inclinação do eixo do planeta e em sua órbita fazem a radiação solar incidir em determinadas latitudes mais que em outras (deixando algumas com acúmulo de gelo). Em Marte, no entanto, essas mudanças parecem ser mais acentuadas, já que, enquanto a Terra muda 2 graus em sua inclinação em centenas de milhares de anos (ou até milhões), Marte chega a modificar em até 60 graus a inclinação do planeta no mesmo período – essa grande variedade no eixo de rotação influencia na quantidade de raios solares que atingem a superfície, assim como na estabilidade do gelo em todas as latitudes. A maior incidência de raios solares na área central do planeta faz com que o gelo se acumule nos polos.

Com os novos dados, os pesquisadores estimam que, desde a última era glacial no planeta há 370.000 anos, cerca de 87.000 quilômetros cúbicos de gelo teriam se acumulado no polo Norte do planeta, equivalentes a uma espessura de 60 centímetros se o gelo se espalhasse por toda extensão de Marte. “Estudar o gelo em Marte é importante para o futuro da exploração humana no planeta vermelho. A água será um recurso escasso em uma possível Estação marciana”, afirmou Smith.

Clima – Entender o clima marciano a determinar quando o planeta pode ter tido um clima favorável à vida no passado e como mudou esse estado, além de servir para os estudos sobre a mudança climática na Terra.