Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Cientistas americanos explicam por que gritamos

Estudo indica que o grito serve para insuflar medo e para alertar, mostrando sinal de perigo. É óbvio, mas agora se trata de uma obviedade comprovada pela ciência

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h03 - Publicado em 17 jul 2015, 17h49

Pesquisadores da universidade de psicologia e neurociência de Nova York descobriram que escutar um grito pode ativar no cérebro a reação de sentir medo, e esse é o motivo pelo qual gritamos. O estudo foi publicado na quinta-feira, dia 16, na revista Current Biology.

A pesquisa foi realizada com vídeos de YouTube, filmes e 19 voluntários. O primeiro passo foi medir o tom dos gritos e compará-los aos de uma conversa casual, observando os volumes e a reação das pessoas. Depois, foram analisadas imagens do cérebro dos participantes e descobriu-se que os gritos não são interpretados como o restante dos barulhos. Eles passam pela área das amídalas, o processador de medo do cérebro.

Leia também:

Pessoas arrogantes gostam de intervir em conflitos alheios

A nova receita para combater a depressão: 90 minutos na natureza

“Percebemos que os gritos ativam o circuito do medo. A amídala é um núcleo no cérebro especialmente sensível a informações sobre o medo. Isso significa que os gritos são considerados não apenas um som, mas um gatilho para a conscientização”, afirmou David Poeppel, neurocientista e autor do estudo.

Com os gritos, os pesquisadores mapearam sua “aspereza”, uma descrição acústica para o quão rápido um som muda de volume. Enquanto a fala normal varia entre quatro e cinco hertz, unidade de medida de frequência, os gritos vão de 30 a 150 hertz, simbolizando também que quanto maior a variação de som, mais aterrorizante ele será.

Para os cientistas, essa é uma pista sobre como o cérebro processa o perigo por meio de sons que se registra. Gritar serve não só para transmitir perigo, mas também para provocar o medo no ouvinte e aumentar a consciência sobre um evento urgente para ambos, quem grita e quem escuta.

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)