Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Asteroide gigante passa pela Terra nesta sexta-feira

Com 4,4 km de diâmetro, o objeto é o maior a se aproximar do planeta nos últimos cem anos e ficará a ‘apenas’ 7 milhões km de nós, sem oferecer riscos

O maior asteroide a se aproximar da Terra em mais de um século passará a uma distância de sete milhões de quilômetros do nosso planeta nesta sexta-feira, afirma a Nasa. A distância é considerada próxima, em termos cósmicos, mas não o suficiente para oferecer qualquer risco. Este asteroide, que possui um diâmetro de 4,4 quilômetros e é conhecido pelo apelido Florence, foi descoberto em março de 1981.

“É o maior objeto celeste a passar tão perto do nosso planeta desde a descoberta do primeiro asteroide nas proximidades da Terra, há mais de um século”, afirmou a agência espacial americana, em comunicado. “Embora muitos asteroides conhecidos tenham cruzado a Terra a uma distância mais curta do que fará Florence na sexta-feira, todos eram menores”, disse Paul Chodas, responsável do Centro para o Estudo de Objetos Próximos à Terra, que pertence à Nasa.

Florence só voltará a se aproximar da Terra em outubro de 2024 e, mesmo assim, não passará tão perto de nosso planeta pelos próximos quinhentos anos, afirmou a agência espacial. Os cientistas aproveitarão esta passagem para estudar mais detalhes do corpo celeste, usando telescópios localizados na Califórnia e em Porto Rico.

“As imagens resultantes devem permitir determinar as dimensões exatas do asteroide e também revelar os detalhes de sua superfície com uma precisão de 10 metros”, estimou a Nasa.

Colisão

As colisões entre grandes asteroides e a Terra não são eventos comuns. “A cada 2.000 anos, aproximadamente, um meteorito do tamanho de um campo de futebol atinge o planeta, devastando a área de impacto e os arredores”, afirmou a agência espacial americana.

Objetos celestes capazes de aniquilar a civilização humana, como o que provocou o fim dos dinossauros há cerca de 66 milhões de anos, são ainda mais raros. Estes ameaçam a Terra uma vez a cada alguns milhões de anos, acrescentou a Nasa, que chegou a calcular em 0,01% a probabilidade de um asteroide grande e potencialmente perigoso nos atingir nos próximos cem anos. Mesmo a queda do meteoro que provocou importantes danos e deixou 1.000 feridos em Chelyabinsk, na Rússia, em fevereiro de 2013, foi um evento incomum. A rocha tinha um diâmetro de 15 a 17 metros e uma massa entre 7.000 e 10.000 toneladas. Ao atingir o solo, liberou uma energia que foi estimada em 30 vezes a potência da bomba de Hiroshima.

A Nasa afirma que ao menos um asteroide do tamanho de um carro atinge a atmosfera da Terra por ano, mas normalmente eles se desintegram antes de tocar o solo.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Vai sim passar pela terra, cade a edição dessa revista? É cada titulo cientifico dedar arrepio. Vai passar na casa de quem escreveu.

    Curtir

  2. Ciência? Mais me parece uma mensagem codificada, vejamos :
    “Com 4,4 km de diâmetro, o objeto é o maior a se aproximar do planeta nos últimos cem anos e ficará a ‘apenas’ 7 milhões km de nós, sem oferecer riscos.”
    O pmdb nunca esteve tão perto de destruir o Brasil, para implantar segunda a vontade dos ex-sócios, (pt) uma república socialista para os pobres, e outra capitalista para os ricos!
    A reforma política, passará a 7 milhões km do povo, e não oferecerá risco à classe parlamentar fisiológica e corrupta que destrói o Brasil !
    O próximo asteroide a cair na terra será em 2018, nas pseudo eleições, mostraremos ao mundo, como somos retrógrados e coloniais!
    #GOD !
    kkkkkk

    Curtir

  3. José Antonio Debon

    Sete milhões de km é bastante perto considerando as distancias espaciais, e da próxima passagem em 2024 a distancia devera ser menor devido a ação da gravidade terrestre.

    Curtir

  4. Ayr de Almeida Gosch

    Ciência!!!!
    A foto não tem correlação com o texto: 7 milhôes de kilômetros de distância da terra. Isso equivale a 20 vezes a distância média da terra à lua. Dessa distância, a terra parece uma bola de futebol azul.
    Em relação ao meteoro que caiu na Russia – A energia equivalente a 30 bombas de Hiroshima foi liberada no ar. Fosse no solo, seriam milhares de mortos. Ele vaporizou quase por completo ao entrar em contato com a atmosfera.
    Nossas escolas precisam de menos doutrinadores ideológicos e de mais mestres na arte de ensinar.

    Curtir

  5. Marcio Bamberg

    Pô! De raspão… Só 17 vezes a distância da lua?

    Curtir

  6. Com certeza não faria tanto estrago ao lBrasil quando fizeram Lula e Dilma.

    Curtir

  7. gastao shcefer

    “não oferece risco”, “vai passar bem longe” e “só aparece muito raramente”. Deveriam chamar de asteroide Marina Silva, ora pois kkkkk

    Curtir

  8. A Modelo Hannah Polites Vive Um Drama Pessoal
    Eleita A Mãe Mais Delícia Da Constelação De Orion
    Teve Seu Visto Negado Por Sua Bebê Ter Olhos Azuis,
    Para Os Padrões Brasileiros De Beleza Ela É Ofensiva…

    Curtir