Clique e assine a partir de 9,90/mês

Aliens? Mistério de sinal extraterrestre está prestes a ser desvendado por cientistas

O astrofísico americano Antonio Paris afirma que sinal de 1977 conhecido como “Wow!” e atribuído a extraterrestres pode ser resultado de atividade de dois cometas no espaço.

Por Da Redação - Atualizado em 6 maio 2016, 15h57 - Publicado em 16 abr 2016, 09h18

Um astrônomo americano pode ter descoberto a origem do mistério de quase 40 anos do sinal “Wow!”, ondas de rádio que foram consideradas tentativas de contato alienígena. Analisando os dados obtidos em agosto de 1977, o astrofísico Antonio Pires, da Universidade de St. Petersburg, nos Estados Unidos, chegou à conclusão de que o estranho sinal pode ser resultado da passagem de dois cometas. Em estudo publicado recentemente no periódico da Washington Academy of Sciences, o cientista explica como as nuvens de hidrogênio em volta dos cometas podem ter causado simples interferências no radiotelescópio – e não tentativas de aliens de comunicação com a Terra.

Leia também:

Astronauta da missão Apollo 10 descarta que “música do espaço” gravada na Lua tenha origem extraterrestre

Estrela misteriosa intriga cientistas. Seria vida extraterrestre?

Continua após a publicidade

Sinal extraterrestre? – Quem identificou o acontecimento, há quase quarenta anos, foi Jerry Ehman, um astrônomo que usava o radiotelescópio Big Ear da Universidade do Estado de Ohio. Na ocasião, fortes ondas de rádio foram captadas durante 72 segundos. Ao identificá-las na transcrição, feita por computador, o astrônomo circulou o sinal – representado por uma sequência de letras e números – com uma caneta vermelha e anotou ao lado: “Wow!”. Foi com essa interjeição que o evento ficou conhecido. Apesar de inúmeras tentativas, o sinal nunca mais foi captado, tornando sua origem um mistério. Possivelmente, até agora.

Pires resolveu regatar as informações captadas pelo radiotelescópio e investigá-las. Antes de entrar na Universidade de Ohio, o astrofísico trabalhava como analista no departamento de defesa dos Estados Unidos e, usando essa experiência, identificou que o estranho sinal pode ter vindo dos cometas 266P/Christensen e P/2008 Y2 (Gibbs), que foram descobertos entre 2006 e 2008. De acordo com o estudo, as nuvens de hidrogênio em volta dos cometas podem ter causado as fortes ondas que foram interpretadas como sinais de civilizações extraterrestres que buscavam contato com a Terra.

No dia em que foram captados os sinais, os cometas passavam nas redondezas da constelação de Sagitário, no grupo estelas Chi Sagittarii: exatamente de onde os cientistas acreditam ter vindo as estranhas ondas. O cientista comparou as frequências do “sinal extraterrestre” com as que são emitidas por nuvens de hidrogênio, e descobriu que elas são bastante próximas: ambas emitem, aproximadamente, um sinal com frequência de 1420 MHz.

Campanha de financiamento – Contudo, antes de declarar sua hipótese como uma explicação certeira para o sinal “Wow!”, Pires precisa testá-la. O cometa 266P/Christensen vai passar pelo Chi Sagittarii novamente em 25 de janeiro de 2017, enquanto 335P/Gibbs vai retornar ao grupo em 7 de janeiro de 2018. Se for possível observar essas passagens, captar os sinais por um radiotelescópio e analisá-las, o cientista poderá afirmar se resolveu ou não o mistério.

Continua após a publicidade

Mas, como todos os radiotelescópios já estão sendo usados nessas datas para outras pesquisas, Pires resolveu lançar uma campanha de financiamento coletivo (crowdfounding) na plataforma gofundme para levantar os 13 000 dólares necessários para adquirir um equipamento capaz de captar as ondas.

Alguns especialistas duvidam que a hipótese possa ser verdadeira mas, de acordo com Pires, mesmo que ela não seja confirmada, esse será um exemplo de como a boa ciência é feita – além de aprender um pouco mais sobre os cometas, haverá um novo radiotescópio para ser usado em pesquisas futuras.

(Da redação)

Publicidade