Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Torre de energia e concessionária de veículos sofrem ataques no Ceará

Série de ataques violentos região metropolitana de Fortaleza chegou ao décimo primeiro dia; 330 suspeitos foram capturados, diz governo

Uma torre de transmissão de energia elétrica foi derrubada no Anel Viário em Maracanaú, na região metropolitana de Fortaleza, na madrugada deste sábado, 12. Houve relatos de oscilação e queda de energia em municípios da Grande Fortaleza, como Maracanaú e Maranguape.

Também nesta madrugada, uma concessionária na Avenida Washington Soares foi atingida por um artefato explosivo.

Fios de alta tensão da torre de 500 KV, da empresa Sistema de Transmissão Nordeste (STN), ficaram espalhados na rodovia que liga Fortaleza a municípios da região metropolitana. A polícia esteve no local ainda durante a madrugada. Não há registros de feridos nas ocorrências.

A série de ataques violentos no Ceará chegou ao décimo primeiro dia. O número de suspeitos capturados por envolvimento com os atentados chegou a 330, entre adultos e adolescentes, segundo balanço atualizado nesta manhã pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social.

O ataque na concessionária ocorreu nas primeiras horas deste sábado, por volta das 5 horas. A explosão causou danos em parte do estabelecimento e em alguns veículos. Procurado, o estabelecimento não quis se manifestar.

A secretaria informou que um suspeito pelo ataque contra a concessionária de veículos foi preso em flagrante com uma pistola .40. O rapaz, sem antecedentes criminais, foi detido na Avenida Edilson Brasil Soares e conduzido para a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco).

Ele foi autuado em flagrante pelos crimes de dano, explosão, receptação, porte ilegal de arma de uso restrito e por integrar organização criminosa. As forças de segurança também continuam trabalhando no sentido de identificar e capturar suspeitos de provocarem a queda da torre.

A Enel Distribuição Ceará, empresa responsável pela distribuição de energia elétrica do estado, também foi procurada para se manifestar sobre a oscilação e queda de energia, mas ainda não havia respondido até a publicação desta reportagem.

Em nota no site, a companhia informa que, desde o início da onda de violência, a operação da empresa e o número de equipes nas ruas foram reduzidos “por motivo de segurança”.

“Nos últimos dias, retomamos todos os serviços da companhia, porém nossas equipes estão evitando atuar em locais que apresentem risco à segurança de nossos colaboradores. Em alguns lugares, os serviços estão sendo realizados com apoio da Polícia Militar”, diz a nota.