Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Tiroteio na Rocinha suspende aulas em escolas no Rio de Janeiro

Colégios públicos, particulares e a PUC-Rio, vizinha da comunidade, suspenderam as atividades nesta sexta-feira por questões de segurança

Por Da Redação Atualizado em 22 set 2017, 14h51 - Publicado em 22 set 2017, 14h16

O intenso tiroteio que atingiu a favela da Rocinha na manhã desta sexta-feira afetou as aulas em escolas públicas, particulares e na Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio) – nota publicada no site da instituição informa a suspensão das aulas e acrescenta que “os funcionários técnico-administrativos estão liberados de suas atividades, caso considerem conveniente para a sua segurança ir para casa”.

O estacionamento da entrada da PUC, separado da Rocinha apenas por um túnel, está com seguranças na porta informando aqueles que chegam sobre a suspensão das atividades e orientando-os a não permanecerem no local. Após alguns momentos de pânico na universidade, alguns alunos deixaram o campus de carro, mas a maioria,está optando por utilizar o transporte público, por medida de segurança. A polícia faz uma operação na região desde o início da manhã, com participação do Batalhão de Choque.

A violência começou no último domingo, quando traficantes de facções opostas iniciaram uma disputa por pontos de droga dentro da Rocinha. Nesta sexta-feira, a situação se agravou e o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) recorreu ao governo federal para que as Forças Armadas façam um cerco à comunidade para coibir fugas e combater a violência no local. “Estamos com indícios da presença de traficantes em uma região que estamos avançando. Temos certeza de que a reação que está ocorrendo no asfalto é por causa disso, nós não vamos recuar”, disse o governador.

O secretário de Segurança Pública, Roberto Sá, confirmou a autorização do Ministério da Defesa e disse que a ação já era avaliada há alguns dias. “Estávamos monitorando e avaliando a escalada da implementação de recursos. Hoje pela manhã surgiu uma necessidade”, afirmou.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)