Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

STJ concede habeas corpus a Sininho e outros dois black blocs

Acusados de promover atos de vandalismo em protestos no Rio de Janeiro, baderneiros vão responder ao processo em liberdade

O ministro Sebastião Reis, da 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), concedeu na segunda-feira habeas corpus a Elisa Quadros Pinto Sanzi, a Sininho, e outros dois black blocs. Eles são acusados de participação em atos criminosos durante protestos no Rio em 2013 e 2014. Foram beneficiados com a decisão Igor Mendes da Silva, que está preso, Karlayne Moraes da Silva Pinheiro, a Moa, e Sininho – que que tinham prisão preventiva decretada e eram consideradas foragidas.

Os três, agora, vão responder ao processo em liberdade. O trio faz parte de um grupo de 23 black blocs que é acusado de associação criminosa e atos violentos durante as manifestações no Rio. A ordem de prisão dos três havia sido dada pelo juiz Flávio Itabaiana, da 7ª Vara Criminal, porque eles descumpriram medidas cautelares que os impedia de participar de protestos. Segundo fotos da Polícia Civil, eles estiveram, no dia 15 de outubro do ano passado, em uma manifestação na Cinelândia, no centro da capital fluminense.

Leia também:

Juiz suspende processo contra black blocs no Rio

Traição amorosa de Sininho ajudou polícia a prender black blocs

(Com Estadão Conteúdo)