Clique e assine a partir de 9,90/mês

Segurança do leilão do pré-sal fechará parte da praia da Barra da Tijuca

Exército estuda interditar trecho da areia e bloquear todo o entorno do hotel onde acontecerá o evento na segunda-feira. Manifestação de petroleiros está marcada para o mesmo dia e local

Por Cecília Ritto - 18 out 2013, 17h19

O local do primeiro leilão do pré-sal, com a oferta do Campo de Libra ao mercado, na segunda-feira, será totalmente isolado. Por causa do evento, todo o entorno do hotel Windsor, na Avenida Lucio Costa, na orla Barra da Tijuca, será interditado e terá acesso controlado. As forças de segurança estudam fechar um trecho da areia da praia aos banhistas. A operação será montada com 1.100 homens das Forças Armadas, da Força Nacional de Segurança, da Guarda Municipal e das Polícias Militar e Civil do Rio de Janeiro. Na primeira hora de segunda, deverão ser montados postos de controle para permitir a entrada na área bloqueada apenas por pessoas cadastradas e moradores com o comprovante de residência.

Não existe possibilidade de leilão ser adiado, diz ANP

Petroleiros em greve param 15 plataformas e ocupam MME

Petroleiros entram em greve contra leilão do pré-sal

O forte esquema de segurança se deve à manifestação prevista para acontecer no local onde ocorrerá o leilão. Petroleiros, apoiados por sindicatos, agendaram um protesto contra o evento na porta do hotel. Segundo a Federação Única dos Petroleiros (FUP), a greve dos petroleiros, que começou na quinta-feira, tem a adesão de 90% a 100% da categoria. Entre as reivindicações estão o pedido de 5% de aumento real e melhores condições de trabalho. De acordo com o coordenador geral da FUP, João Antônio de Moraes, um trabalhador morre por mês em refinarias, plataformas ou terminais. No Rio, os black blocs também são uma ameaça no horizonte para os participantes do leilão.

O Exército afirma, em nota, que a solicitação de reforço dos militares na segurança do leilão partiu do governador do Rio, Sérgio Cabral. O apelo foi atendido pela presidente Dilma Rousseff e o Exercito atuará através do decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). A operação só terminará no fim da segunda-feira. A área de atuação está delimitada pela Avenida Lúcio Costa, Avenida Érico Veríssimo, Avenida Armando Lombardi, Canal de Marapendi e Avenida Afonso Arinos de Melo Franco.

“O Exército empregará os recursos operacionais militares necessários, para garantir a realização do leilão do Campo de Libra, que ocorrerá no Hotel Windsor”, informa o Comando Militar do Leste (CML), em nota. A Marinha também será acionada para cuidar da defesa do litoral. O CML pede que os motoristas evitem a região.

A Secretaria de Segurança do estado do Rio informou, esta tarde, que a Polícia Militar fará o policiamento ostensivo no entorno do perímetro determinado como área para a atuação das Forças Armadas. Serão montados quinze pontos de interceptação na Barra da Tijuca, com reforço também em pontos considerados sensíveis, como prédios públicos e pontos de aglomeração de público. A Polícia Civil estará mobilizada, nas delegacias da região, para atender o volume maior de ocorrências esperado para o dia.

Continua após a publicidade
Publicidade