Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sabesp busca garantir abastecimento no litoral norte

Por Reginaldo Pupo

São Sebastião – A Sabesp anunciou nesta semana investimentos de R$ 8,2 milhões, que serão aplicados em um conjunto de medidas preventivas para garantir o abastecimento no litoral norte de São Paulo durante a temporada de verão. Deste montante, 1,2 milhão será destinado ao tratamento de esgoto, numa tentativa de melhorar a balneabilidade das praias. As prefeituras estimam que cerca de 1,5 milhão de turistas deverão visitar os quatro municípios da região até fevereiro.

De acordo com a estatal, com as medidas adotadas, o abastecimento permitirá o atendimento de cerca de 1 milhão de pessoas diariamente, com um aumento de 10,3 milhões de litros, totalizando 200,8 milhões nesta temporada. Em 2009/2010 a vazão era de 190,5 milhões.

A concessionária informou também que haverá intervenções pontuais de captação, tratamento e distribuição de água em Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba. Entre as medidas anunciadas, estão a implantação de 12 equipes eletromecânicas, duas equipes de calderaria, frota de 11 caminhões pipa, equipes para atendimento operacional e controle sanitário nas Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs), além da vigilância nas captações de água. Serão aproximadamente 300 funcionários atuando na alta temporada em sistemas de plantão.

“As ações da Sabesp não serão suficientes se a população não fizer o uso da água de forma racional”, alerta superintendente da empresa no Litoral Norte, José Bosco Fernandes de Castro. “Recomendamos evitar lavar carros, calçadas, quintais, animais e reduzir o tempo de banho”, completa. Hotéis, pousadas e condomínios localizados nas praias de Cambury, Camburizinho e Baleia, um dos trechos mais valorizados do litoral paulista, não são atendidos pela Sabesp. As obras da estatal que abasteceriam as três praias foram embargadas judicialmente em 2007, pois foram erguidas em uma área particular. A Sabesp recorre da decisão.

Devido à falta de abastecimento, muitos empreendimentos fazem captação de água diretamente das nascentes, sem controle sanitário. Às margens de alguns rios há ocupação populacional desordenada, que não é atendida pela rede de esgoto. “A maioria das pousadas e hotéis possui poços semi artesianos. A cada seis meses os proprietários precisam apresentar um laudo de confiabilidade da água, que é exigido pela Vigilância Sanitária”, explica o presidente da Sociedade Amigos de Cambury (Sacy), Rodrigo Sulina.