Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Protesto de professores provoca tumulto na Câmara de SP

Categoria, que está em greve desde o último dia 8, protesta contra a reforma da previdência da categoria; paralisação atinge 93% das unidades de ensino

Por Da Redação Atualizado em 14 mar 2018, 19h55 - Publicado em 14 mar 2018, 17h03

Um protesto de professores municipais contra a reforma da Previdência da categoria acabou em confronto com policiais militares e guardas metropolitanos na tarde desta quarta-feira na Câmara dos Vereadores, no centro de São Paulo.

Segundo a assessoria de imprensa do legislativo municipal, um grande número de servidores contrários ao projeto compareceu à leitura do projeto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).  Outro grupo tentou invadir o local e houve confusão. Policiais municipais e guardas metropolitanos precisaram agir para evitar a invasão. De acordo com a assessoria, não se sabe se houve prisões ou feridos no ato. 

A categoria tenta pressionar os vereadores a rejeitar o projeto de lei 621, que está em discussão e propõe mudanças na Previdência dos funcionários do município. O Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal (SINPEEM) avalia que, se a reforma for aprovada, 220 mil servidores serão afetados pelas alterações. O principal ponto de divergência reside no aumento da contribuição previdenciária, que hoje é de 11%, para 19%.

Evandro Almeida, estagiário da Câmara Municipal, conta que estava trabalhando normalmente no início da tarde quando uma bomba explodiu nas imediações do prédio e o tumulto começou. Almeida relata que alguns manifestantes invadiram o edifício e a polícia atuou para controlar a situação. “O cheiro de gás estava muito forte perto dos elevadores quando fomos ver a situação pela janela”, contou. 

Dentro da Câmara, o confronto entre manifestantes e policiais começou quando uma garrafa de água foi arremessada na direção dos parlamentares, o que teria motivado uma ação da Guarda Civil Metropolitana (GCM) para expulsar o grupo do local. A professora Luciana Xavier ficou ferida na confusão. Ela foi encaminhada ao Hospital do Servidor Público Municipal.

Professora é agredida por GCM durante confusão na reunião da CCJ
Professora durante tumulto no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo – 14/03/2018 Suamy Beydoun/AGIF/Folhapress

Greve dos professores municipais

Segundo dados da Secretaria Municipal de Educação, divulgados nesta terça-feira, a greve dos professores da rede municipal de São Paulo atinge 93% das 1.550 escolas da administração direta, isto é, aquelas administradas pela prefeitura. Além disso, 46% das unidades de ensino aderiram à paralisação totalmente, 47% funcionam parcialmente e apenas 7% funcionam normalmente. A greve teve início no dia 08 de março. Na oportunidade, os professores protestaram em frente à sede da Prefeitura de São Paulo, no Viaduto do Chá, no Centro. 

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês