Clique e assine a partir de 9,90/mês

Prefeito manda fechar acessos e coloca cidade gaúcha em quarentena

Amauri Germano (PTB) bloqueou as entradas de Capão da Canoa em função do coronavírus. Só é permitida a passagem de moradores e pessoas com imóveis no local

Por Edoardo Ghirotto - Atualizado em 20 mar 2020, 18h56 - Publicado em 20 mar 2020, 18h40

O prefeito Amauri Magnus Germano (PTB) tomou nesta sexta-feira, 20, uma medida extrema em Capão da Canoa, no litoral do Rio Grande do Sul, para impedir o coronavírus de chegar ao município. Germano ordenou, por meio de um decreto, que fossem bloqueadas dez das treze vias que dão acesso à cidade. Escavadeiras formaram barreiras de entulho para impedir que os veículos possam cruzar as passagens. Não há restrição quanto ao tráfego de saída de pessoas.

Nas três vias em que a passagem está liberada, agentes sanitários e da Brigada Militar coletam informações dos motoristas antes de permitir o ingresso na cidade. Só foram autorizadas as entradas de moradores e de pessoas que têm imóveis em Capão da Canoa.

Segundo a prefeitura, a medida foi tomada sem que houvesse consulta ao governo estadual. Em seu perfil no Facebook, Germano defendeu a ação e afirmou que medidas drásticas precisam ser tomadas em época de crise. A falta de consciência de pessoas que entendem que a quarentena é férias nos levou a tomar ações como essa. Pedimos que respeitem as orientações pela saúde de todos”, declarou.

A prefeitura de Capão da Canoa também proibiu o acesso a todas as praias e parques públicos locais. Policiais militares têm feito rondas para ordenar que as pessoas voltem para suas casas se descumprirem o decreto. O comércio está fechado, mas restaurantes e bares funcionam com espaçamento de mesas e restringindo a lotação dos estabelecimentos pela metade. Supermercados e farmácias continuam abertos, enquanto aulas e eventos foram suspensos.

Continua após a publicidade

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou nesta sexta-feira a existência de 41 casos de coronavírus no Rio Grande do Sul. Não houve mortes no estado até o momento.

Publicidade