Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Polícia investiga contratação de ‘manifestantes profissionais’ pelo PR

Assessor parlamentar do gabinete do deputado estadual Geraldo Pudim é suspeito de dar ajuda financeira para grupos que promovem ocupações e vandalismo no Rio

Por Da Redação 11 nov 2013, 15h14

Uma investigação da Polícia Civil do Rio, destinada a apurar o envolvimento de “manifestantes profissionais” nos protestos de rua, esbarrou no que pode ser um mecanismo de financiamento partidário para estimular ocupações e depredações. O elo entre os grupos de mascarados e partidos políticos, segundo uma reportagem publicada do jornal O Globo, é um assessor parlamentar lotado no gabinete do deputado estadual Geraldo Pudim, do PR, partido do deputado federal e ex-governador Anthony Garotinho – também pré-candidato ao governo do Rio em 2014. Os investigadores pretendem pedir à Justiça a quebra do sigilo bancário do assessor parlamentar Sebastião Rodrigues Machado Júnior, conhecido como Nayt, por acreditarem que ele forneça recursos para “importar” manifestantes de outros estados.

O assessor tem duas passagens pela polícia por estelionato. O apelido – Nayt – surgiu na investigação de suspeitos de vandalismo como sendo de alguém encarregado da intermediação entre o partido e os manifestantes.

Radar: Rosinha é multada por pintar postes de rosa

Rosinha gasta dinheiro público com shows em Campos

De acordo com o Globo, a ligação da Nayt com Garotinho é antiga. Desde janeiro, ele ocupa uma posição no gabinete de Geraldo Pudim. Antes disso, foi presidente da executiva provisória do PMDB Afrobrasileiro, quando a hoje deputada estadual Clarissa Garotinho presidia a Juventude do PMDB. Clarissa negou a existência de qualquer ligação do partido com a organização de protestos.

Continua após a publicidade

Entre as suspeitas atribuídas a Nayt, estão a de envolvimento com o grupo que promoveu o “Ocupa Cabral”, o acampamento de manifestantes no Leblon, na rua em que mora o governador do Rio. Segundo o Globo, a conexão de Nayt com os manifestantes se dá principalmente através de Jair Seixas Rodrigues, conhecido como Baiano.

Denúncia – A Polícia Civil obteve, a partir de depoimentos de um ex-militante do PR, informações sobre encontros de manifestantes com a cúpula do partido. O secretário-executivo do partido, Fernando Peregrino, confirmou ao jornal ter se encontrado com Anderson Harry Grutzmacher – autor de denúncias contra o PR. Segundo o denunciante, chegou-se a discutir, no encontro com Peregrino, uma ocupação em frente à casa do senador Lindbergh Farias (PT). Peregrino, no entanto, diz não se lembrar do teor da conversa.

Peregrino também negou que o partido tenha qualquer ligação com a contratação de manifestantes profissionais ou que promova ajudas de custo para estimular ocupações e atos de vandalismo.

Leia também:

Rosinha Garotinho tem direitos políticos suspensos

Continua após a publicidade

Publicidade