Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

PM vai instalar base móvel dentro da USP até sexta

Greve de estudantes contra a presença da Polícia Militar no campus prossegue. Novo protesto na frente da reitoria está previsto para esta quarta-feira

Por André Vargas 15 nov 2011, 14h29

A Polícia Militar pretende instalar uma base móvel dentro do Campus da Universidade de São Paulo, na Zona Oeste da capital, até a próxima sexta-feira. A Secretaria de Segurança Pública do estado informou que a chegada da base estava prevista no convênio, assinado em setembro, entre a direção da USP e o comando da PM.

O acordo foi firmado depois que um estudante da universidade foi assassinado no estacionamento da faculdade durante um assalto. Boa parte dos estudantes é favorável à presença da PM no campus.

Para esta quarta-feira, às 16 horas, os alunos – que estão em greve desde o dia 8 de novembro – planejam um ato em frente ao prédio da reitoria. O Diretório Central dos Estudantes (DCE) reivindica a saída da PM do campus, uma nova política de segurança, o fim dos processos contra estudantes, professores e funcionários e a renúncia do reitor, João Grandino Rodas.

A greve dos estudantes foi iniciada depois que a PM invadiu a reitoria e deteve os 72 manifestantes que permaneciam acampados no prédio, contrariando uma decisão judicial. O grupo protestava contra a prisão de três estudantes detidos depois de flagrados pela polícia com maconha perto da Faculdade de História. O episódio ocorreu em 27 de outubro. Na ocasião, houve tumulto e confronto entre os estudantes e a PM.

De acordo com o diretor do DCE, João Victor Pavesi de Oliveira, o ato não está diretamente ligado à chegada da base da PM, mas à política adotada por Grandino Rodas. O DCE pretende reunir cerca de 750 pessoas na manifestação. Na última quinta-feira, dia 10, os estudantes fizeram uma marcha no centro da cidade, quando houve discussão com motoristas e comerciantes.

Continua após a publicidade
Publicidade