Clique e assine com 88% de desconto

Partido de Kassab muda de nome e será lançado na Bahia

Prefeito fará também evento em São Paulo e planeja outros anúncios regionais

Por Adriana Caitano e Carolina Freitas - 18 mar 2011, 18h48

Gilberto Kassab lança neste domingo, em Salvador (BA), o manifesto do Partido Social Democrático (PSD) – novo nome para o já combalido Partido Democrático Brasileiro (PDB). A legenda abrigará aliados próximos do prefeito e dissidentes de partidos tradicionais. A oficialização do partido acontece no Hotel Fiesta, às 9 horas, em evento para 500 convidados. Em nota, Kassab anunciou seu desligamento do DEM e confirmou evento em São Paulo na segunda-feira, às 12h30, para iniciar a coleta de assinaturas – requisito legal para criação da sigla. Ele e o vice-governador paulista, Guilherme Afif Domingos, darão uma entrevista coletiva na ocasião. No manifesto, a ser apresentado no primeiro evento, na Bahia, os criadores do partido expressam a fundamentação política da legenda. O estatuto, com as diretrizes jurídicas, elaborado por advogados de São Paulo e de Brasília, está pronto há um mês. Se todas as promessas de filiação forem cumpridas, o PSD terá na Bahia sua mais numerosa base de apoio no país. Aliados de Kassab no estado estimam a adesão de 100 prefeitos e ex-prefeitos, muitos vereadores, até cinco deputados federais e oito estaduais. Tudo graças ao vice-governador, Otto Alencar (PP), que se voluntariou a estruturar o partido na Bahia para pagar dívidas políticas das eleições de 2010. Alencar abrigará na legenda aliados que, depois de apoiarem a campanha de Jaques Wagner (PT), foram retaliados por seus partidos, a maioria de oposição. O empenho do vice-governador contou pontos para a decisão de fazer o lançamento nacional do PSD em Salvador. Fôlego – Os dirigentes pretendem, ao longo das próximas semanas, fazer lançamentos em vários estados brasileiros para demonstrar o caráter nacional da legenda. Para legalizar o PSD, o grupo de Kassab precisa ter representação em pelo menos nove estados.

Leia também: A metamorfose de Gilberto Kassab

Em São Paulo, terra natal e berço político de Gilberto Kassab, o lançamento se dará na segunda-feira. O prefeito reservou o auditório Franco Montoro, na Assembléia Legislativa de São Paulo. O espaço tem capacidade para receber até 250 pessoas. Na noite desta sexta-feira, o prefeito reúne para um jantar 53 vereadores paulistanos. Só foram excluídos da lista de convidados os parlamentares do PT, que faz oposição ao prefeito na Câmara, e os vereadores Adilson Amadeu (PTB) e Aurélio Miguel (PR), críticos contumazes de Kassab. O encontro será na casa do secretário de Relações Governamentais da prefeitura, Antonio Carlos Malufe, na capital. A ideia é agradecer a aprovação de projetos de interesse da prefeitura e comunicar, formalmente, a decisão de sair do DEM e fundar o PSD. Nas duas últimas semanas, Kassab comentou com os vereadores do DEM sobre a decisão, mas ainda não fez a eles convites para ingresso na nova legenda. Mesmo assim, ao menos quatro vereadores democratas pretendem seguir Kassab.

Publicidade