Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Operação contra o PCC busca prender 54 policiais militares em SP, MG e RJ

Alvos são policiais do 22º Batalhão da PM, na Zona Sul de São Paulo, que tiveram sua prisão preventiva decretada pela Justiça Militar

Uma operação da Polícia Militar e do Ministério Público de São Paulo busca prender 54 policiais militares suspeitos de envolvimento com a facção Primeiro Comando da Capital. Até a manhã desta terça-feira, 18, o MP-SP contabilizava três presos civis e 29 PMs, além de armas, munição, drogas e dinheiro.

A operação foi desencadeada em dezenove municípios nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Os alvos são policiais do 22º Batalhão da PM, no Jardim Marajoara (Zona Sul da capital), que tiveram sua prisões preventiva (sem prazo) decretada pela Justiça Militar — eles foram levados ao presídio Romão Gomes. Cinco integrantes da organização criminosa que atuam na área também tiveram mandados de prisão.

Além do total de 59 prisões, também são cumpridos 86 mandados de busca e apreensão (setenta expedidos pela Justiça Militar e dezesseis expedidos pela Justiça Comum). As investigações começaram em fevereiro e, segundo o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MP-SP, foram reunidas provas decorrentes de mais de 82 mil ligações telefônicas interceptadas. 

A Corregedoria da PM verificou os crimes de corrupção passiva, concussão, associação ao tráfico de drogas, organização criminosa, além de outros crimes previstos no Código Penal Militar. O inquérito corre em sigilo e o nome dos suspeitos não foi divulgado. Foram envolvidos na Operação Ubirajara, referência ao bairro onde começaram as investigações, 900 policiais militares, incluindo corregedores e do Batalhão de Choque, além de promotores no Gaeco.