Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Justiça determina internação de aluno que matou colegas em GO

Adolescente de 14 anos disse que sofria bullying no colégio e usou arma da mãe, policial militar, para abrir fogo contra alunos

O Ministério Público do Estado de Goiás recomendou na tarde deste sábado a internação provisória por 45 dias do adolescente de 14 anos que abriu fogo em um colégio de Goiânia (GO) na última sexta, matando dois colegas e deixando outros quatro feridos. Horas depois, a juíza plantonista Mônica Cézar Moreno Senhorello acatou o pedido.

O autor do ataque, cuja identidade não foi revelada, foi ouvido neste sábado pelo promotor de Justiça Cássio Sousa Lima, que recomendou que, por segurança, o atirador seja alojado em local separado de outros jovens em privação de liberdade. O jovem deverá se apresentar ao Juizado da Infância e Juventude na próxima segunda-feira para prestar depoimento.

O atirador está na Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai) e passará 45 dias no Centro de Internação Provisória (CIP) de Goiânia. A juíza Mônica Senhorello determinou que “a autoridade encarregada do referido local deverá zelar pela segurança e cuidado com a integridade física do adolescente”.

O pai do jovem e a advogada da família, Rosangela Magalhães, acompanharam o depoimento do garoto neste sábado. Segundo Rosangela, a mãe está internada em estado de choque.

Adolescente abre fogo contra alunos em Goiânia Adolescente autor dos disparos

Adolescente autor dos disparos (Reprodução/Arquivo pessoal)

O adolescente foi apreendido em flagrante na sexta-feira, após atirar contra colegas no Colégio Goyazes, no bairro Conjunto Rivieira. Filho de policiais militares, ele usou a arma da mãe, levada à escola particular escondida dentro de uma mochila. Segundo a Polícia Civil, o rapaz sofria bullying e o crime foi premeditado.

adolescente alegou que sofria bullying no colégio e disse ter se inspirado nos casos de Columbine, nos Estados Unidos, e Realengo, no Rio de Janeiro, em que atiradores também abriram fogo dentro de escolas.

Sepultamento

Os dois adolescentes mortos no ataque foram sepultados no fim da manhã deste sábado em cemitérios da cidade. O pai de um dos adolescentes mortos conversou rapidamente com a imprensa. Leonardo Calembo informou que a família está consternada e criticou o que chamou de perda de valores na sociedade.

“O que tem faltado hoje nas famílias é o ensino do amor ao próximo, que a família é importante, que a vida do próximo é importante. Eu quero deixar bem claro que meu filho era cristão, obreiro da igreja, meu filho não foi pivô de nada, não foi o único alvo”, afirmou Calembo. O filho dele foi o acusado de praticar bullying contra o jovem autor do ataque.

Boletim dos feridos

Um novo boletim médico sobre o estado de saúde de três dos quatro estudantes feridos durante o ataque foi divulgado por volta das 5h30. Em nota, o Hospital de Urgências de Goiânia afirmou que, a pedido dos familiares, não serão mais divulgadas informações sobre as duas meninas de 13 anos internadas na UTI do hospital.

O menino, com a mesma idade, permanece internado na enfermaria com estado de saúde estável. Ele está consciente, respira de forma espontânea e se alimentada por via oral. A quarta vítima, uma menina de 13 anos, está internada com bom estado de saúde no Hospital Acidentados. Ela foi atingida por um disparo próximo ao punho e, de acordo com informações do hospital, se recupera bem.

(Com Agência Brasil e Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Simont Falkgonç

    Pois, o grande problema é exactamente esse. “O MP recomenda internação de aluno que matou colegas em GO”. E o resto, talvez o mais grave? Esse aluno defendeu-se da única forma que conseguiu fazer para parar a tirania dos colegas, colegas mentecaptos que não vêem o sofrimento, a dor lancinante que esses actos lhe provocavam. E o Ministério Público promove o seu internamento. Mas, e os verdadeiros criminosos, os colegas praticantes de bullying ? O promotor Público o que promoveu a respeito deles, desses criminosos? Não precisariam de internamento num campo de reeducação ? Nos Estados Unidos há frequentes morticínios nas escolas levados a cabo por alunos vítimas de bullying. E o que tem sido feito para parar essa onda de crimes. As autoridades limitam-se a punir o autor do atentado (quando não se suicida com uma bala da própria arma, ou “com uma bala da polícia”). Mas a respeito dos verdadeiros algozes, que fazem a infelicidade de milhares de jovens, e destroem tantas vidas inocentes através de suicídio por não conseguirem parar , travar, essa onda geradora de tanto sofrimento, nada, nem uma palavra de condenação. O que dá luz verde para a continuação da prática desse desporto demencial por pessoas dementes. Não se poderá considerar o Promotor Público, e por extensão o Ministério Público, e de um modo geral toda a justiça, coniventes na prática do bullying ? E os professores e os vigilantes ou outros funcionários das escolas o que fazem ? Olham para o lado como se nada tivesse acontecido ? Os nossos políticos o que têm feito para resolver esse problemas de vez ? Nada. Os políticos estão mais interessados noutros valores. Valores mais sonantes. Em vez de criarem procedimentos eficazrs no sentido de promover a segurança, a tranquilidade, o sossego de todos os jovens em todas as escolas, e não só, e a erradicação tanto quanto possível total dessa praga que inferniza tantas vidas inocentes. Mas como sempre essas consciências ficam tranquilas, descansadas, se se punir as vítimas de bullying por tentarem defender-se. Quanto aos algozes, mentecaptos criadores de situações de bullying, isso fica para outra altura . E se forem filhos de “senhores fulanos de tal” (sobretudo de políticos desonestos e corruptos), então a coisa fica mesmo assim; na prática beneficiam de uma certa e vergonhosa “imunidade” e “impunidade”. É assim no Brasil, em Portugal, nos Estados Unidos, no mundo em que vivemos. Infelizmente.

    Curtir

  2. Sergio Campos

    …se fosse nos EUA, país para onde milhares de brasileiros gostariam de migrar…

    Curtir

  3. Adão Ferreira Dos Santos

    Essa história de bullying é besteira. Ele é um assassino frio e cruel que deve ficar preso para sempre. Infelizmente, as nossas leis e as autoridades são muito benevolentes com gente dessa espécie.

    Curtir

  4. Francisco Lemos

    Otimo comentario de Simont. Nao ha preparo das autoridades ou escolas para tratar o bullying. A sociedde brasileira tolera desrespeito. Tudo contribui pra tragedia.

    Curtir