Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Gol quer banir homem que ejaculou em duas mulheres durante voo

Passageiro, que quase foi agredido pelos passageiros, foi detido e levado à polícia, onde prestou depoimento e foi liberado; punição prevê apenas multa

Por Da Redação Atualizado em 9 dez 2017, 16h16 - Publicado em 9 dez 2017, 16h11

A GOL Linhas Aéreas disse que estuda uma forma de banir para sempre o passageiro de 51 anos que ejaculou em duas mulheres – de 24 e 32 anos – durante um voo da companhia de Belém a Brasília na sexta-feira, 8, e que vai prestar “total assistência às vítimas e colaborar com as autoridades”. A empresa também disse que “repudia veementemente qualquer manifestação de violência como a ocorrida”.

“A GOL informa que está tomando todas as medidas cabíveis para buscar formas de banir definitivamente o passageiro de todos os voos da empresa”, disse a empresa em nota. Segundo a companhia, a tripulação do avião “agiu rapidamente imobilizando o agressor” e comunicando a Polícia Federal, que fez a prisão do passageiro assim que o voo aterrissou no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitscheck, em Brasília.

  • Ao perceberam que tinham sido vítimas da agressão sexual, as vítimas gritaram – alguns passageiros tentaram agredir o homem, cuja identidade não foi divulgada. As mulheres registraram queixa na 1ª Delegacia de Polícia, na Asa Sul, em Brasília. O agressor foi ouvido, assinou termo circunstanciado, foi liberado e vai responder por contravenção de importunação ofensiva ao pudor, previsto no artigo 61 da Lei das Contravenções Penais (decreto-lei 3.688, de 1941), que prevê apenas o pagamento de multa.

    Ele negou o ataque – em depoimento, disse apenas que estava dormindo e tossiu. As mulheres relataram à polícia que ele estava com o pênis para fora da calça. As duas disseram que haviam sido atingidas por esperma.

    Continua após a publicidade
    Publicidade