Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Empresários presos com R$ 30 milhões em carga roubada

Dois sócios de São José do Rio Pardo usavam empresa de distribuição de hortifrúti para armazenar mercadorias roubadas em rodovias do país

Dois empresários acusados de armazenar mercadorias de cargas roubadas em rodovias do país foram presos nesta terça-feira em São José do Rio Pardo, no interior de São Paulo. Com os criminosos, a Polícia Civil recuperou o equivalente a 30 milhões de reais em mercadorias roubadas, que ocuparam oito caminhões. Entre os produtos, os policiais apreenderam azeites, óleos lubrificantes, pneus, produtos de limpeza e presuntos importados.

Segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública, a prisão dos empresários representa uma ofensiva contra um grupo de quadrilhas (apelidado de “Conexão Caipira”) envolvido em roubo e receptação de cargas nas regiões de Campinas e São José do Rio Pardo, a cerca de 250 quilômetros da capital paulista. “(Eles) terão dificuldade para operacionalizar a receptação e distribuição das cargas roubadas”, comentou o delegado Alberto Matheus Júnior, da 2ª Delegacia de Investigações sobre Roubos de Cargas (Divecar).

O delegado explicou que a estrutura de armazenamento funcionava como um entreposto comercial das mercadorias roubadas. “Os empresários aproveitaram todo o esquema da estocagem lícita e guardavam as cargas roubadas. Dessa maneira, ninguém estranhava a movimentação de caminhões no local. Usavam a fachada de empresa para fomentar o crime”.

As investigações começaram em maio deste ano. Os policiais da 2ª Divecar, uma divisão do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), desmontaram nesta terça o que identificam como a base logística do grupo. As mercadorias roubadas ficavam estocadas na empresa de distribuição de hortifrúti.

A identidade dos sócios, ambos de 47 anos, não havia sido divulgada até a manhã desta quarta. Os dois empresários responderão pelo crime de receptação de carga roubada.

(Com Estadão Conteúdo)