Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em carta, primo reafirma participação de Bruno em crime

Sérgio Rosa Sales foi morto na quarta-feira da semana passada. Foi ele quem contou à polícia que Macarrão e Bruno levaram Eliza Samúdio para ser morta

Em uma carta endereçada a seus pais em julho de 2010, Sérgio Rosa Sales, primo de Bruno, reafirma a participação do goleiro no assassinato de Eliza Samúdio. O documento foi revelado no domingo pelo Fantástico, da TV Globo. Sales foi executado na quarta-feira da semana passada, com seis tiros. Ele era uma das testemunhas-chave do crime e um dos réus do caso. Leia também: Caso Bruno: assassinato de Sérgio Sales tem ‘assinatura’ de policiais Como o goleiro Bruno atraiu Eliza Samudio para a morte Amor, estranho amor: defesa afirma que Bruno e Macarrão tinham um caso Saiba tudo sobre o Caso Bruno Foi Sales quem contou à polícia que Eliza foi levada por Luiz Henrique Romão, o Macarrão, até a casa do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. E que Bruno estava junto no momento da entrega da modelo a seu algoz. Segundo o primo de Bruno, ao chegar no local, Eliza levou uma gravata, caiu no chão e foi chutada por Macarrão. Em seguida, Bola disse que jogaria a mulher aos cachorros. A carta foi escrita quatro dias depois de Sales participar de uma reconstituição, gravada em vídeo, da última noite de Eliza no sítio que era do goleiro Bruno, em Minas gerais. Na carta, o jovem afirma que tudo o que disse no depoimento à polícia era verdade e que estava sofrendo pressão de outros advogados para mudar sua versão dos fatos. Quatro meses depois, orientado por um novo advogado, foi o que Sales fez. Em novembro de 2010, ele depôs à Justiça e disse ter sofrido pressões e até tortura para incriminar Bruno e Macarrão. Sete suspeitos pela morte de Sérgio Rosa Sales foram presos na sexta-feira e devem ser interrogados a partir desta segunda-feira.