Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Câmara agenda votação do impeachment: domingo às 14h

Debates começarão às 9 horas de sexta-feira. Cunha deve organizar votos de modo que deputados do Sul falem primeiro e os do Nordeste, por último

A Câmara dos Deputados programou em reunião de líderes nesta terça-feira o rito da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff no plenário. Os debates começarão às 9 horas de sexta-feira e a votação deverá ocorrer na tarde de domingo, a partir das 14 horas.

Os líderes partidários terão tempo para defender posição pró ou contra o impeachment e também para encaminhar a orientação do partido para votação – o que costuma demorar 1 minuto para cada partido. Quando a votação começar, os parlamentares poderão usar apenas um mesmo microfone e não caberá interrupção.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), estima que a votação dure mais de quatro horas. Segundo ele, o horário previsto de divulgação do resultado é por volta das 21 horas.

LEIA TAMBÉM:

Em meio a debandada, deputados do PT vão partir para corpo a corpo com indecisos

Dilma chama Temer e Cunha de ‘chefe e vice-chefe do golpe’

Apesar de ainda não ter sido anunciado, deputados da oposição dão como certo que Cunha convocará os parlamentares a votarem da Região Sul para a Norte. Como as bancadas gaúcha, catarinense e paranaense são menos governistas, a oposição afirma que tal ordem pode influenciar indecisos a votarem contra a presidente. O governo queria ordem alfabética. O Supremo Tribunal Federal rejeitou interferir na decisão. Oficialmente, Cunha tem dito que só definirá a ordem em cima da hora. Cunha argumenta que a ordem alfabética só foi adotada em 1992 no impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello porque não havia disposição regimental.

Na sexta, os juristas denunciantes poderão falar por 25 minutos e o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, por mais 25 minutos em defesa da presidente Dilma Rousseff. Depois, cada partido terá uma hora para debater a denúncia, na ordem da maior para a menor bancada – até cinco parlamentares de cada sigla poderão ser indicados para fazer pronunciamentos durante os 60 minutos. Na Comissão Especial do Impeachment, a maioria foi favorável ao julgamento. Não será permitido a um partido ceder tempo a outra legenda.

No sábado, será a vez de os parlamentares falarem, individualmente, por até 3 minutos, seguindo ordem de inscrição. A sessão começará às 11 horas. Os deputados se alternarão em discursos contra e a favor do impeachment.

Em todas as sessões, os líderes poderão usar tempo de comunicação, que varia entre 3 e 10 minutos. A expectativa é que tanto na sexta quanto no sábado os debates se estendam até a madrugada.