Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bueiros explodem em série no centro da cidade

Em apenas um quarteirão da Rua da Assembleia, no centro do Rio de Janeiro, quatro bueiros explodiram na tarde desta segunda-feira. Segundo a Guarda Municipal, três tampas voaram e atingiram uma senhora e um carro. A mulher foi levada pelo Corpo de Bombeiros ao hospital municipal Souza Aguiar. Ainda não há notícias sobre o seu estado de saúde. O veículo foi atingido na traseira enquanto passava pelo local.

O trecho da Rua da Assembleia que vai das imediações da Avenida Rio Branco até a Rua da Carioca está interditado, segundo informações do Centro de Operações da prefeitura do Rio. O trânsito nas proximidades do acidente está congestionado. Foram deslocadas para o local equipes dos bombeiros, da CET-Rio, da empresa de energia elétrica Light e agentes da Guarda municipal.

Esses quatro casos engrossam a lista de uma série de bueiros da cidade do Rio que tem apresentado problemas e assustado a população. Na última sexta-feira, um deles soltou fumaça na Rua México, também no centro do Rio. Na terça-feira da semana passada, uma labareda saída de outro bueiro, no Flamengo, transformou os telefones públicos em sucata retorcida. Ninguém ficou ferido, e a Light informou que o incidente envolveu “apenas fumaça”. No domingo (19), a explosão foi na Rua Conde de Bonfim, na Tijuca, zona norte, ferindo um funcionário que trabalhava próximo ao local do acidente. No dia 1º de junho, mais um incidente no centro da cidade. Entre junho de 2010 e junho deste ano, foram 22 incidentes, com oito feridos.

O caso mais grave decorrente da explosão de um bueiro aconteceu em junho do ano passado, em Copacabana. Um casal de turistas americanos foi gravemente ferido. Sara Nicole Lowry, de 28 anos, teve 80% do corpo queimado e ficou cerca de dois meses hospitalizada. O marido dela, David McLaugheim, teve queimaduras em 35% do corpo. No mesmo bairro, já em 2011, outra explosão fez a tampa do bueiro atingir um táxi. Uma cratera abriu-se na via e causou pânico entre os pedestres e motoristas.

Na sexta-feira, a Light reuniu-se com o Ministério Público do Rio de Janeiro para finalizar a redação do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). Ficou acertado que a Light poderá ser multada em cem mil reais a cada bueiro que explodir na cidade. O promotor Rodrigo Terra, do MP-RJ, que está à frente da negociação com a Light, cobra da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) uma atitude mais firme em relação à concesionária. “Eu custo a entender como a Aneel não adota medidas mais graves para punir a empresa. A Aneel tem poder para fiscalizar o cumprimento das obrigações contratuais da empresa. E é claro o descumprimento quando começam a explodir bueiros pela cidade inteira. A Light pode ser advertida ou multada. As penalidades vão a depender da gravidade. E, nesse caso, a infração é muito grave, porque são reiterados episódios”, disse Pimentel ao site de VEJA.

A prefeitura do Rio disse através de nota que considera inaceitáveis as explosões nos bueiros e câmaras subterrâneas da concessionária Light na cidade. Segundo o executivo municipal, isso tem colocado em risco a segurança da população e o patrimônio público. A nota fala ainda de multar a concessionária: “A prefeitura expedirá multa contra a Light por danos ao patrimônio público e interrupção de vias públicas. A Procuradoria Geral do Município, além das diversas notificações já enviadas à Light e à Aneel, está preparando medida legal contra a Light frente a exposição a perigo da população da Cidade do Rio de Janeiro causada pelas recorrentes explosões”.