Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Barragem da Vale se rompe em Brumadinho (MG)

Ainda não há informações sobre vítimas. Estrutura armazenava rejeitos de minério de ferro e rompeu na altura do quilômetro 50 da MG040

Por João Pedroso de Campos Atualizado em 25 jan 2019, 21h12 - Publicado em 25 jan 2019, 14h19

Uma barragem da mineradora Vale se rompeu no início da tarde desta sexta-feira, 25, em Brumadinho, cidade de cerca de 40.000 habitantes na região metropolitana de Belo Horizonte. Segundo o Corpo de Bombeiros, o rompimento ocorreu na região do córrego do Feijão, na altura do quilômetro 50 da Rodovia MG 040. Os bombeiros estimam que cerca de 200 pessoas estejam desaparecidas.

A mineradora divulgou uma nota informando sobre o rompimento da barragem, que ficava na Mina Feijão e armazenava rejeitos de minério de ferro. Segundo a empresa, “as primeiras informações indicam que os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco”. “Havia empregados na área administrativa, que foi atingida pelos rejeitos, indicando a possibilidade, ainda não confirmada, de vítimas”, informou a Vale, que acionou seu “Plano de Atendimento a Emergências para Barragens”.

Por meio de um comunicado no Facebook, a prefeitura de Brumadinho orientou a população a manter distância do leito do rio Paraopeba. Segundo a Defesa Civil de Minas Gerais, a tendência é que os rejeitos fluam para o Paraopeba, um dos principais afluentes do rio São Francisco.

[googlemaps https://www.google.com/maps/d/u/2/embed?mid=1dwloUJnjRKYrAkbWmgJbtEOUB4yO5V01&w=640&h=480%5D

O governo de Minas Gerais enviou uma força-tarefa ao local do rompimento da barragem, onde os bombeiros e a Defesa Civil já atuavam com cinco helicópteros. Segundo a gestão do governador Romeu Zema (Novo), foi criado um gabinete estratégico de crise para acompanhar as ações. Os secretários do Meio Ambiente, Germano Vieira, e de Impacto Social, Elizabeth Jucá, foram enviados ao local.

Por meio de sua conta no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro lamentou o desastre e anunciou que os ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o secretário nacional de Defesa Civil vão até a região. Em pronunciamento no Palácio do Planalto por volta das 16h desta sexta, o porta-voz do governo, general Otávio Santana do Rêgo Barros, disse que Bolsonaro pretende ir a Brumadinho às 8h deste sábado, 26.

Ainda conforme Rêgo Barros, foram instalados gabinetes de crise no Planalto e no Ministério do Meio Ambiente. Além das pastas de Salles, Canuto e Albuquerque, o ministério da Defesa também integrará as ações do governo na cidade mineira.

Continua após a publicidade

Um dos maiores museus de arte contemporânea do Brasil, o Inhotim, que fica em Brumadinho, foi evacuado por segurança. O instituto, que guarda uma acervo milionário, só voltará a receber visitas depois que se conhecer a extensão do vazamento de rejeitos.

Veja abaixo a nota da Vale

Vale informa sobre rompimento de barragem em Brumadinho, Minas Gerais

A Vale informa que, no início desta tarde, ocorreu o rompimento da Barragem 1 da Mina Feijão, em Brumadinho (MG). A companhia lamenta profundamente o acidente e está empenhando todos os esforços no socorro e apoio aos atingidos.

Havia empregados na área administrativa, que foi atingida pelos rejeitos, indicando a possibilidade, ainda não confirmada, de vítimas. Parte da comunidade da Vila Ferteco também foi atingida.

O resgate e os atendimentos aos feridos estão sendo realizados no local pelo Corpo de Bombeiros e pela Defesa Civil. Ainda não há confirmação sobre a causa do acidente.

A prioridade máxima da empresa, neste momento, é apoiar nos resgates para ajudar a preservar e proteger a vida de empregados, próprios e terceiros, e das comunidades locais.

A Vale continuará fornecendo informações assim que confirmadas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)