Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Bahia: Rui Costa confronta Bolsonaro e diz que aceitará ajuda da Argentina

Após veto do Itamaraty, governador afirma que recebera 'diretamente, sem precisar passar pela diplomacia brasileira, qualquer tipo de ajuda neste momento’

Por Da Redação Atualizado em 30 dez 2021, 18h26 - Publicado em 30 dez 2021, 16h51

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse nesta quinta-feira, 30, que aceitará qualquer tipo de ajuda humanitária às vítimas das fortes chuvas no estado mesmo sem a aprovação do governo federal. A declaração ocorre um dia após o Ministério das Relações Exteriores dizer que não precisaria de profissionais da Comissão dos Capacetes Brancos, um grupo especializado em assistência a vítimas de desastres, oferecidos pelo governo da Argentina, comandado pelo esquerdista Alberto Fernández, desafeto ideológico do presidente Jair Bolsonaro.

“Me dirijo a todos os países do mundo: a #Bahia aceitará diretamente, sem precisar passar pela diplomacia brasileira, qualquer tipo de ajuda neste momento”, escreveu Costa na sua conta oficial no Twitter. “Os baianos e brasileiros que moram aqui no estado precisam de todo tipo de ajuda. Estamos trabalhando muito, incansavelmente, para reconstruir as cidades e as casas destruídas, mas a soma de esforços acelera este processo, portanto é muito bem-vinda qualquer ajuda neste momento.”

A resposta do governador mostra mais um desentendimento entre ele e o governo federal no resgate às vítimas e no trabalho de reconstrução das cidades afetadas por tempestades no último mês. Na terça-feira, 28, ao lado de ministros, Costa disse que o valor destinado pela gestão Bolsonaro à reconstrução de rodovias no estado era insuficiente. Bolsonaro havia editado uma Medida Provisória liberando 200 milhões de reais estradas em cinco estados – desse total, 80 milhões irão para a Bahia.

Mais cedo nesta quinta, Bolsonaro reagiu a críticas nas redes sociais e apresentou justificativas para recusar a ajuda argentina. Ele escreveu que as Forças Armadas e a Defesa Civil já estão trabalhando na região, e que “a avaliação foi a de que a ajuda argentina não seria necessária naquele momento, mas poderá ser acionada oportunamente, em caso de agravamento das condições”.

Mortes

A Prefeitura de Ilhéus, no litoral sul da Bahia, confirmou nesta quinta-feira a morte demais um morador. Um homem de 45 anos morreu afogado no distrito de Rio do Braço, no zona rural do município, onde outras duas mortes já haviam sido registradas. Com isso, a tragédia já deixou um total de 25 mortos.

O governo estadual calcula que mais de 640 mil pessoas já foram afetadas pelos temporais na Bahia. Há 517 pessoas feridas, 37.035 desabrigados e 54.771 desalojados.

O norte de Minas Gerais, próximo à região mais atingida no estado vizinho, também teve tempestades nos últimos dias. Ao menos seis pessoas morreram em municípios mineiros e mais de 11 mil pessoas foram afetadas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)