Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

As cinco provas que a defesa de Bruno tentará derrubar

Apesar de o corpo de Eliza Samudio não ter sido encontrado, evidências colhidas no local do crime e depoimentos incriminam o goleiro

A prova mais forte de que Eliza Samudio foi assassinada jamais foi encontrada. O corpo da jovem, apesar de incessantes buscas em vários pontos de Minas Gerais e de fora do estado, nunca foi localizado. A tese mais sinistra para esse desaparecimento é a de que partes do corpo, depois de esquartejado, teriam sido dadas a cães da raça rottweiler, na casa do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola.

Não são poucos, no entanto, os casos de condenação em que as evidências em torno do caso, depoimentos e provas materiais permitem aos jurados formar a convicção de que houve um homicídio. A acusação que leva o goleiro e outros quatro acusados (Marcos Aparecido dos Santos, Dayanne dos Santos, Luiz Henrique Ferreira Romão e Fernanda Gomes) a júri popular está apoiada em provas materiais e testemunhais, que a defesa tentará derrubar.

LEIA TAMBÉM:

Os furos da tese de fedesa do goleiro Bruno

Caso Bruno: Ameaças calaram as testemunhas

Como o goleiro Bruno atraiu Eliza Samudio para a morte