Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após chuvas, Rio de Janeiro segue em estágio de crise e com vias fechadas

Temporal provoca interdições e interrupções no fornecimento de transporte público; aulas foram suspensas nas redes municipal e estadual

Por Da Redação - Atualizado em 9 abr 2019, 14h45 - Publicado em 9 abr 2019, 13h07

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro (COR) informou que a cidade permanece em estágio de crise após as intensas chuvas que atingiram a cidade a partir da noite de segunda-feira 8 e deixaram ao menos quatro mortos. Na Barra e na Zona Sul, a previsão é de chuva forte. No Centro e na Zona Norte, de chuva moderada.

O impacto das chuvas segue sendo sentido na cidade ao longo desta terça-feira. 9. Com a mobilidade afetada, aulas foram suspensas nas redes municipal e estadual. O governador Wilson Witzel (PSC) decretou ponto facultativo nas repartições públicas.

De acordo com a última atualização do Centro de Operações, às 12h14, há quinze vias fechadas total ou parcialmente: Avenida Niemeyer, em ambos os sentidos; Alto da Boa Vista, em ambos os sentidos; Grajaú-Jacarepaguá, sentido Freguesia; Túnel Rebouças, sentido Centro; Mergulhão Billy Blanco; Avenida Borges de Medeiros, altura das ruas Lineu de Paula Machado e Mário Ribeiro; Rua Jardim Botânico, na altura do Jardim Botânico e nos dois sentidos em pontos ao longo da via; Avenida Armando Lombardi; Avenida Brasil, altura da Linha Vermelha; Rua Silveira Martins, altura do Catete; Rua Humaitá, sentido Botafogo; Avenida Embaixador Abelardo Bueno, altura Avenida Ayrton Senna; Estrada do Itanhangá, altura do Muzema.

Foram registradas quedas de árvores na Rua Bolívar, altura da Rua Barata Ribeiro, em Copacabana; Avenida Visconde de Albuquerque, altura do número 1.366 e do número 492, no Leblon; Rua Pedro Américo, altura do número 135, no Catete; Curva Chico Anysio, em Jacarepaguá; Avenida Niemeyer, em São Conrado; Estrada das Furnas, altura do número 3001, no Itanhangá; Rua 1º de Março, altura da Rua Visconde de Inhauma, Centro; e na Estrada da Canoa, 1446, em São Conrado.

Continua após a publicidade

O Centro de Operações alerta também para o aviso de ressaca no mar, feito pela Marinha, com a possibilidade de ondas de 2,5 metros atingirem a orla do Rio até a manhã de quinta-feira, 11. Só na manhã de hoje, a Defesa Civil acionou 45 sirenes, em 26 comunidades.

Transportes

No Metrô, o tráfego das linhas 1, 2 e 4 segue normal, com as estações abertas. Os intervalos do Metrô na Superfície estão irregulares, em virtude das fortes chuvas na Zona Sul. Na Supervia, a estação Olaria permanece fechada. A circulação em ambos os sentidos está irregular.

No VLT, a linha 1 circula apenas entre Praia Formosa e Cinelândia em virtude de alagamentos na região avenida Beira-Mar e do aeroporto Santos Dumont. Linha 2 segue fora de operação. No BRT, o corredor Transoeste operando entre Jardim Oceânico e Magarça, com intervalos regulares. Já os corredores Transcarioca e Transolímpica operam com intervalos regulares.

Mortes

No fim da noite desta segunda-feira, o Corpo de Bombeiros confirmou a primeira morte em decorrência dos alagamentos: um homem – que foi identificado como Guilherme Fontes, de 30 anos, um motoqueiro – foi encontrado embaixo de um veículo no bairro da Gávea . A causa provável apontada para o óbito é afogamento. Ele teria caído de sua motocicleta e sido arrastado pela correnteza.

Continua após a publicidade

Já duas mulheres, que são irmãs, morreram em um desabamento no morro da Babilônia, no Leme. No mesmo incidente, outra pessoa (tia delas) foi resgatada com ferimentos. A quarta vítima é um homem eletrocutado em Santa Cruz, na Zona Oeste.

(Com Agência Brasil)

Publicidade